segunda-feira, 25 de julho de 2011

Por que aos 27 anos? (Estudos Cabalísticos)



Prometi aos leitores que faria uma pesquisa sobre estes músicos e cantores que perderam a vida aos 27 anos.

Por que aos 27 anos?

Pesquisando na rede encontrei o Clube dos 27 ( * ), uma lista de personalidades ligadas a música que morreram aos 27 anos por causa dos vícios, acidentes e outros motivos.

Então fiz uma lista das datas de nascimentos e mortes dessas pessoas, para ver se havia algo que pudesse chamar minha atenção para a Numerologia, e tudo o que pude perceber é que todos eles estavam prestes a completar 28 anos.

O 27 é um número cabalístico para quem estuda a cabala numerológica. Todos os números críticos da cabala são múltiplos do 9, porque cada fase ou ciclo da cabala termina depois de 9 anos. Os finais de ciclos geralmente ocasionam perdas, acidentes e outros acontecimentos. Os números críticos são: 9, 18, 27, 36, 45, 54, 63, 72, 81, 90...

Especialmente o 27, termina o 3º ciclo voltado para a comunicação, artes de modo geral e o final da juventude. O vigésimo sétimo caminho cabalístico é o da Consciência Excitante ou Palpável, voltado as sensações. Este caminho cabalístico conecta o centro dos processos da razão com a esfera dos desejos. É um caminho horizontal e estabilizador.Pode significar a destruição das velhas formas ou conceitos ligados a personalidade. Este caminho cabalístico está ligado ao Arcano Maior XVI "A Torre", aquela figura fulminada por um raio de destruição. No Tarô Egípcio esse Arcano XVI é chamado de "Fragilidade". O 4 multiplicado 4 vezes, fechando um ciclo na Terra. O esgotamento de todas as possibilidades que prenuncia o fim de um período, ciclo ou jornada. Leva o título esotérico de "O Senhor das Hostes Poderosos", porque sua letra hebraica é o Phe que significa Boca. Tudo o que entra pela Boca ou tudo o que sai da Boca, relaciona-se com os processos digestivos e com a fala. Seu valor numérico é 80. Por outro lado, pode representar a palavra que cria (ou construtiva) e a palavra que destrói (ou destrutiva). O Arcano da Torre é regido pelo Planeta Marte, o Planeta de destruição ou da guerra, impulsivo nas suas ações, gosta de correr riscos e não tem medo do perigo. Sua natureza impaciente quer realizar seus desejos já, sem se importar com o passado e com as consequências futuras de seus atos.

O que lhe soa melhor? Uma dor longa e moderada ou uma dor intensa e rápida? A destruição da Torre corresponde a esta última, um golpe seco e único naquelas estruturas viciadas que precisam ser aniquiladas. A morte é um farol que procura na imensidão, a visão de quem deseja a destruição. Aqui o mais importante é destruir o Ego e tudo o que nele foi condicionado e conquistado. Isto acontece com pessoas que não conseguem se desprender de sua casca egoica, fazendo com que o mesmo processo aconteça de novo e de novo, configurando assim o padrão obsessivo que é a sombra da máscara de dor e experiências difíceis, por ingestão ou acidentes fatais, violentos e irreversíveis.

Na astrologia 27 anos está no 4º ano do ciclo de Júpiter, com a energia de Câncer. Neste ciclo é o período de consolidação definitiva dos novos projetos e o fim da experimentação. Uma fase de extrema sensibilidade e vulnerabilidade. Há uma percepção de querer se proteger de tudo e de todos. Principalmente das cobranças e julgamentos. Um momento em que a dualidade e o psiquismo estão constantemente em conflitos. Há uma grande necessidade de ser querido(a) pelos familiares. Paralelamente ao mundo real, a visão que surge é alguém tendo que atravessar uma ponte sobre o abismo que liga a vida com a morte e vice-versa. No final dessa travessia há sempre uma pergunta que pode ser respondida pelo silêncio da Lua:

- Será que eu consegui?


(*) 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Clube_dos_27

*Fonte de pesquisa: O Tarô de Thoth - Johann Heyss.




Helen De Rose

2 comentários:

  1. ótimo texto!

    Na prática, se vamos falar de ciclos cabalísticos, nos moldes iluministas, precisamos incorporar os nomes aos anos...esta prática pôde predizer, por exemplo, o ciclo dos Luises de França.

    Então, a meu ver, não podemos ser tão simplistas. Shakespeare, por exemplo, nomina 7 como sendo a chave de aprendizagens no homem...

    "7 são as idades do homem"

    Claro que, no total, ele se apóia também no eneagrama, e o resultado para o período final pode ser compreendido no que nos sucede após os 63 anos de idade (em média).

    Se a gente coloca a música como base interpretativa, vamos aos números, por valor histórico:

    1. Johann Sebastian Bach (31/03/1685-28/07/1750- 65 anos)
    2. Wolfgang Amadeus Mozart(27/01/1756-05/12/1791 - 34 anos)
    3. Ludwig van Beethoven (17/12/1770-27/03/1827- 56 anos)
    4. Johannes Brahms (07/05/1833-03/04/1897 - 63 anos)
    5. Igor Stravinsky (17/06/1882-06/04/1971)

    só para citar 5 imortais onde o ciclo da humanidade inquestionavelmente se une...e como tal, se observarmos seus ciclos cabais da existência, eles não estão atrelados a 27 anos. Na verdade, 27 foi representado por diferenças individuais...e se vale citar "coincidências", Mozart e Beethoven parecem ter algo em comum com o número.

    O eneagrama de Pythagoras é uma base muito útil para erguermos ciclos, mas, precisamos ver que o lugar das 9 casas MUDA em acordo com o ano de nascimento e do nome do interessado.

    Por exemplo, 1964 poderia ser atrelado ao valor 2, mas também a 20, em ambos os casos teremos respostas fatídicas...em 1966 houve mudanças estratégicas no rumo da ditadura no Brasil...e todos sabemos, é em 1984, no ano 20, que ocorrem as diretas já. Isto é Cabala aplicada. Se a gente soma o nome Brasil ao roteiro de 1964 ou 1984...bem teremos outra história que deixo para os interessados em nossos cursos da área.

    sucesso sempre!

    ResponderExcluir

Agradeço sua atenção.
Bastante proteção em seus caminhos.
Sucesso sempre!
Helen De Rose

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...