quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Quarta Dimensão: O Tempo

imagem do google*

É possível que estejamos enfrentando uma crise sem tamanho, relacionada aos nossos compromissos? Sim!


É de conhecimento geral que o dia está mais curto. Não apenas no nível de execução de tarefas e de sucessão de compromissos, mas em termos reais.
Desde 1952, as pesquisas relacionadas aos ciclos do tempo dão conta de que estamos longe do dia de 24 horas. Quando começaram, a duração do tempo relativo era de 18 horas para um dia.

A citação abaixo é baseada nas informações que enfocam o trabalho do geólogo norte-americano Greg Braden, maior estudioso do fenômeno. Braden trabalha a partir da interface ciência-evolução e é autor do livro Awakening to Zero Point (Despertando para o Ponto Zero) e de um vídeo de quatro horas sobre o fenômeno e suas possíveis consequências para a humanidade:



"A frequência de base da Terra, ou “pulsação” (a Ressonância Schumann), está aumentando drasticamente. Embora varie entre regiões geográficas, durante décadas a média foi de 7 a 8 ciclos por segundo. Essa medida já foi considerada uma constante. Comunicações globais militares foram desenvolvidas a partir do valor dessa freqüência. Recentes relatórios estabeleceram a taxa num índice superior a 11 ciclos. A ciência não sabe por que isso acontece – nem o que fazer com tal situação. Greg Braden encontrou dados coletados por pesquisadores noruegueses e russos sobre o assunto – que, por sinal, não é amplamente tratado nos Estados Unidos. A única referência à Ressonância Shumann (RS) encontrada na Biblioteca de Seattle está relacionada à meteorologia: a ciência reconhece a RS como um sensível indicador de variações de temperatura e condições amplas de clima. Braden acredita que a RS flutuante pode ser fator importante no desencadeamento das severas tempestades e enchentes dos últimos anos. Campo magnético decrescente Enquanto a taxa de “pulsação” está crescendo, seu campo de força magnético está declinando. De acordo com professor Banerjee, da Universidade do Novo México (EUA), o campo reduziu sua intensidade à metade, nos últimos 4 mil anos. Como um dos fenômenos que costuma preceder a inversão do magnetismo polar é a redução desse campo de força, ele acredita que outra inversão deve estar acontecendo. Braden afirma, em função disso, que os registros geológicos da Terra que indicam inversões magnéticas também assinalam mudanças cíclicas ocorridas anteriormente. E, considerando a enorme escala de tempo representada por todo o processo, devem ter ocorrido muito poucas dessas mudanças ao longo da história do planeta. Impacto sobre o planeta Greg Braden costuma afirmar que essas informações não devem ser usadas com o objetivo de amedrontar as pessoas. Ele acredita que devemos estar preparados para as mudanças planetárias, que irão introduzir uma Nova Era de Luz para o planeta: a nova humanidade viverá além do dinheiro e do tempo, com os conceitos baseados no medo e no egoísmo sendo totalmente dissolvidos. Braden lembra que o Ponto Zero ou a Mudança das Eras vem sendo predito por povos ancestrais há milhares de anos. Têm acontecido ao longo da história do planeta muitas transformações geológicas importantes, incluindo aquelas que ocorrem a cada 13 mil anos, precisamente na metade dos 26 mil anos de Precessão dos Equinócios. O Ponto Zero ou uma alteração dos pólos magnéticos provavelmente acontecerá logo, acredita Braden. Poderia possivelmente sincronizar-se com o biorritmo de 4 ciclos da Terra, que ocorre a cada 20 anos, sempre no dia 12 de agosto. A última ocorrência foi em 2003. Afirma-se que depois do Ponto Zero o sol nascerá no oeste e se porá no leste. Ocorrências passadas, desse mesmo tipo de mudança, foram encontradas em registros ancestrais. Os reflexos na vida humana Greg Braden assinala que as mudanças na Terra estarão afetando cada vez mais nossos padrões de sono, relacionamentos, a habilidade de regular o sistema imunológico e a percepção do tempo. Tudo isso pode envolver sintomas como enxaquecas, cansaço, sensações elétricas na coluna, dores no sistema muscular, sinais de gripe e sono intenso. Ele associa uma série de conceitos de ordem esotérica aos processos geológicos e cosmológicos relacionados ao Ponto Zero. Para Braden, cada ser humano está vivendo um intenso processo de “iniciação”. O tempo parecerá acelerar-se à medida que nos aproximarmos do Ponto Zero, em função do aumento da freqüência vibratória do planeta: 16 horas agora equivaleriam a um dia inteiro, ou seja, 24 horas. Durante o fenômeno da mudança, aponta ele, a maior parte de tecnologia que conhecemos deverá parar de operar. Possíveis exceções poderiam ser em aparelhos com tecnologia baseada no Ponto Zero ou Energia Livre. A inversão causada pelo Ponto Zero provavelmente nos introduzirá à Quarta Dimensão, diz o geólogo, então tudo o que pensarmos ou desejarmos vai se manifestar rapidamente. Isso inclui pensamentos e sentimentos diversos inconscientes. Daí que a “intenção” passará a representar um papel de suma importância na vida humana."



E o que isso tem a ver com a Era de Cristal?

Uma vez que alcançaremos a 5ª dimensão, de forma consciente, é de se esperar que nos perguntemos: "E a 4ª?". Assim é preciso entendê-la e rever os conceitos preconcebidos, no intuito de perceber que, durante muito "tempo", existiremos simultaneamente na 3ª e 5ª dimensões e por isso, precisamos da 4ª para que tenhamos contato com o que já conhecemos.

Na Teoria da Relatividade, o tempo é a 4ª dimensão. Considere o tempo como uma direção relativa à matéria. Mas para sair desse labirinto preconcebido, é preciso considerar o tempo como uma frequência, o que permite a compreensão de que a consciência pode sintonizar coordenadas de tempo específicas, ou alternadas, que coexistem simultaneamente.

Mover-se no tempo é andar por meio da "frequência" dentro das dimensões.
O tempo é um preceito que está relacionado à corrente de Consciência pelo seu próprio campo de realidade. Ele é um produto da percepção da realidade tridimensional que cria a aparência e a ilusão de um passado, um presente e um futuro.

Eventos múltiplos podem existir simultaneamente e o tempo, por sua vez, permite a ordenação dos acontecimentos.
A ideia de que o tempo é mais "vertical" do que linear é uma percepção que nos aproxima da compreensão de tempo holográfico.
No tempo "vertical", passado, presente e futuro estão empilhados e relacionam-se por ciclos.

O tempo, como dimensão, permite a existência de objetos múltiplos dentro de um mesmo intervalo. Na mecânica quântica, o tempo não é um parâmetro observável, nem detectável. As ondas quânticas entram e saem do tempo e é só isso que percebemos: o resultado dos eventos, numa ordem que faz sentido ao nosso cérebro, como se fosse linear.

por Era de Cristal - eradecristal@gmail.com

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Como é o Namorado(a) de cada Signo

imagem do google*


Você sabia que cada signo tem uma visão específica de relacionamento? Conheça as necessidades e desejos de cada perfil do zodíaco para entender as expectativas do seu bem-querer. Conquiste-o e seja feliz a dois!

Áries

As pessoas de Áries dão muito valor à vida sexual do casal e não gostam de serem contrariadas. Gente que cobre muita atenção de sua parte, restrinja sua liberdade pessoal ou tenha ciúme exagerado não faz o seu tipo. Porém, os próprios arianos são ciumentos. Faça com que se sinta poderoso.

Como conquistá-lo:

O ser de Áries, seja ele/seja ela, é motivado por desafios... Portanto, não seja do tipo fácil, que fica se derretendo com a sua passagem ou por tudo que ele diz. Mesmo que você esteja caidinho, que o cupido já tenha crivado seu coração com suas flechas, não abra o jogo e, em hipótese alguma, se atire no chão para que passe por cima. Se conseguem logo o que querem, os arianos já partem para a próxima conquista. Sem complicar demais, crie um pouquinho de dificuldade, algo como um fosso de jacarés em volta de seu castelo, obstáculos com alto nível de dificuldade, balcões e varandas para escalar, essas coisas. Mostre-se ocupado e que, como ele, também tem horrores de coisas pra fazer e que não está disponível num estalar de dedos.

Nunca lute com um ariano, apenas relute. Áries é regido por Marte que, entre outros atributos é o deus da guerra... Melhor não entrar em competição com um ariano, senão é como se você passasse pra linha inimiga. Os carneirinhos gostam de ser tratados com carinho e jeitinho e podem ser muito afetuosos com você. Ao se sentir provocado, porém, nada o impedirá de transformar o ninho de amor em uma batalha campal. Quando o sangue lhe sobe a cabeça, entra em surto e nem vê onde dá suas cabeçadas. Dois minutos depois é como se nada tivesse acontecido, e enquanto isso você está atordoado, procurando descobrir onde está o trator que o atropelou.

Esse signo de Fogo gosta de tomar a frente das situações e dar voz de comando. Não o deixe pensar que você é mais um no bando, não permita que um ariano mande em você - mostre que sua vontade tem que ser respeitada. Você tem que ser digno de sua admiração.

Outra coisa importante: não o faça bocejar. Arianos adoram mudanças e detestam rotina. Combata o tédio propondo alguma maluquice, uma empreitada arriscada, faça surpresas.

Cuide de seu corpinho - além da aparência, é bom você ter bastante gás, pois esse pessoal tem muita vitalidade. Se for convidado pra sair, não demore muito para se arrumar, pois paciência não é uma característica ariana... O ideal é que você esteja sempre pronto pra tudo (e rápido).

Na hora de escolher a roupa, não receie ser sexy: elas - um vestido vermelho com um decote insinuante, que sugira suas formas sem declarar tudo... claro, algo ainda tem que ser descoberto; eles - calças e camisetas mais justas, que desenhem seus músculos e etc., nada de calças frouxas parecendo que não tem ninguém lá dentro. Depois do toque especial com um bom perfume, é só esperar o ataque...

***

Touro

Os taurinos tendem à fidelidade e dão atenção à vida material do parceiro. Adoram programas sofisticados e ganhar presentes. Querem ser valorizados, gostam muito de sexo e são ciumentos. Procure fazer com que se sintam seguros e em uma relação estável, pois eles não gostam de pessoas inconstantes ou que joguem charme para os outros.

Como conquistá-lo:


Para esse signo de elemento Terra regido por Vênus, a deusa do amor e da beleza, a satisfação dos sentidos é fundamental. A começar pelo olhar... Nunca descuide da aparência. Se quer mesmo agradar o ser de Touro, mesmo que o programa seja ficar em casa assistindo um filme no vídeo, arrume-se bem bonitinho e não esqueça nunca do perfume, pois seu olfato é sensível e exigente.

Para garantir algo mais, nada como um jantar à luz de velas (se tiver lareira, melhor ainda, pois o fogo realmente o acende), com um bom vinho, sem esquecer de uma deliciosa sobremesa... Tudo tem que ser bom e bonito, nem pense em sanduíche de mortadela e cerveja quente, pois vai ser o fim. Ao sair, vista-se de acordo com a ocasião e esbanje sensualidade, você não vai se arrepender.

Lembrando o sentido do tato, escolha tecidos macios, agradáveis, insinuantes. Quanto aos lugares para ir, não se preocupe em procurar o point da moda, o mais importante é o charme, o conforto e a qualidade em tudo e, é claro, boa comida. Em todas as horas, a música adequada poderá fazer milagres.

Taurinos adoram ser mimados. Gostam de carinho e gentileza, amam ser acariciados e podem retribuir-lhe à altura... Precisam de representações concretas dos sentimentos, o que inclui ganhar presentes - não fique esperando datas especiais, todo dia é um grande dia.

Costumam ser econômicos, mas em geral também gostam de presentear - valorize suas manifestações de afeto, isso os deixa felizes e estimula a prosseguir. No zodíaco, são os mais fortes candidatos na eleição do "amante à moda antiga", sendo assim, flores sempre caem bem, para dar e receber. Embora tenham uma certa tendência ao convencional, também podem quebrar alguns padrões...

Há os Touros mansos, mas também os mais enfurecidos, portanto convém evitar certas coisinhas, por exemplo: se combinou algum programa ou fez algum acordo com um taurino, não mude de idéia na última hora, pois pode estar se preparando há meses. Isso lhe soa como uma traição, mas mais grave que isso, porém, é traí-lo com alguém - é possessivo e precisa da garantia de que é o "dono do pedaço", o que poderá mostrar ostensivamente se ousarem invadir seu campo.

Se você quer estabilidade, segurança e "satisfação dos sentidos" todos os dias, Touro será uma companhia adorável. Não lhe exija complexidades, papo cabeça e interpretações psicanalíticas. Para o taurino tudo é muito simples... Pra que complicar?

***

Gêmeos

Quem é de Gêmeos gosta de pessoas que tenham atributos intelectuais, saibam conversar e não deixem a relação cair no tédio. Gente pegajosa não tem a menor chance, pois eles precisam de espaço para suas amizades pessoais e não querem ser controlados. Tenha sempre um assunto diferente, uma notícia para contar ou um novo passeio ou programa, porque eles querem ser estimulados de todas as formas.

Como conquistá-lo:

As asas do pensamento animam o signo do movimento, da busca do conhecimento e da comunicação... Estimule sua curiosidade, sempre, assim vai manter o geminiano conectado ao seu site. Mas não o obrigue a ficar parado por muito tempo no mesmo lugar fazendo a mesma coisa, tampouco o afogue em complicados jogos emocionais - isso vai deixá-lo completamente nervoso e asmático e poderá desaparecer sem deixar rastros.

Fascinados pelas palavras e pelos mundos que elas trazem em si, adoram conversar. Eloqüentes, são capazes de ficar falando durante horas, não para se exibir, mas porque gostam de compartilhar suas idéias e informações com as pessoas. (Há os tipos calados também, mas pode ter certeza que sua mente fala pelos cotovelos.)

Não espere, contudo, que ele consiga ficar ouvindo longas exposições, a não ser que o tema seja muito interessante e abra possibilidades para muitos outros assuntos. Só pra lembrar: não conte toda a sua vida de cara. Evite relatórios e jamais, "never", "jamais" peça isso a ele, pois presa muito sua liberdade. Como um signo de Ar, regido pelo planeta Mercúrio, comporta-se como o metal que tem esse nome... Nem se canse em tentar prendê-lo.

Já deve ter dado pra notar que esse pessoal não é muito "físico", o adjetivo "volátil" seria adequado. Portanto, se você é do tipo afobadinho, trate de se acalmar. Para "alguma coisa" acontecer, há que seduzi-los com palavras, fazê-los pensar, compartilhar atividades culturais, conhecer lugares e gente interessante.

Certamente o ser de Gêmeos vai mantê-lo bem informado, mas convém você também ter o seu estoque de novidades bem carregado para atrair sua atenção. Lúdicos e bem-humorados, têm muito senso de humor e adoram rir, inclusive de si mesmos... Brinque com eles.

Ao convidá-lo para sua casa, deixe livros espalhados pelo ambiente, isso pode ser muito inspirador, acredite se quiser. Irrequieto e agitado, uma maneira de sossegar um geminiano é fazer uma boa massagem nos seus ombros, braços e mãos. Talvez precise de alguma isca para convencê-lo a se sentar: mostrar alguma música que ele não conheça pode funcionar... Música calma, claro, do contrário sairá dançando loucamente no meio da sala.

Caso você queira alguém sempre a seu lado olhando (e babando) pra você, que chegue sempre no horário marcado e siga o roteiro programado, que diga dez vezes por dia que o ama, bem, desista. Mas se quer uma vida sem rotinas, algo como um desenho animado ou um game interativo, abra suas asas e boa viagem...

***

Câncer

As pessoas de Câncer precisam de segurança emocional e se você não trouxer isso para sua vida é melhor nem tentar manter uma relação com eles. São fiéis e isto é da maior importância. Tendem a querer constituir uma família e ter filhos. Assim, o casamento é uma conseqüência natural do relacionamento. Eles dão atenção ao modo como a sua vida doméstica é estruturada, pois isto dirá muito sobre como será o lar de vocês no futuro.

Como conquistá-lo:

Cancerianos guardam. Guardam tudo: coisas, a si mesmos e a você também, caso esteja sob sua concha. Antes de lhe dar acesso a essa área restrita, porém, nosso(a) amigo(a) caranguejo, deve ter ficado "de guarda" por muito tempo, observando você de longe, dando voltinhas, até ter certeza de que não seria rejeitado, de que você não oferece perigo, para só então permitir aproximações... E isso significa que você deve fazer esse movimento - não espere que um caranguejo venha direto ao seu encontro.

Tenha cuidado pra não assustá-lo, ou fugirá correndo para sua toca. A toca. Sua toca, sua casa, seu lar doce lar, que também pode ser a concha que carrega onde quer que vá... E o que é seu (do canceriano) está guardado para alguém muito especial. Se você é do tipo que quer casar, ter casa, crianças e aquilo tudo, poderá ter em Câncer um companheiro para a vida inteira, felizes para sempre. E se ele não estiver feliz, é você que vai ter que descobrir e mandá-lo ir embora.

Esse bichinho fica com as pinças grudadas em sua velha pedra até que uma onda o arranque dali. Eles guardam tudo - lembranças, memórias, fotografias, bilhetinhos do início do namoro, a primeira música que dançaram e, a pior parte: guardam ressentimentos. Não o machuque, pois ele nunca esquecerá... E talvez você nunca fique sabendo o que fez, afinal.

Signo de elemento Água, ligado ao mundo dos sentimentos, este ser sensível é regido pela Lua e, como ela, está sempre mudando de fase, o que se reflete em suas flutuações de humor - num mesmo dia, hora... Você vai precisar aprender a ler os sinais e entender o que está acontecendo, o que ele está querendo... Não espere que a razão explique.

Nem Freud explica. Falando em Freud, há que atentar para uma questão importante: a mãe. Em geral são loucos por suas mães e conquistar a sogra pode ser uma grande estratégia para fisgá-lo definitivamente. Porém isso deve ser feito de coração, senão ele percebe e pode ser pior. Caso haja um daqueles casos mais complicados em que dizem odiar a mãe, bem, aí vai ser muito trabalhoso, mas de qualquer maneira, jamais apóie esse "ódio", ou vai sobrar pra você.

A toca. Também pode ser a sua... Um convite para jantar em casa, principalmente se você preparou a comidinha, com um clima acolhedor e envolvente, pode ser fatal. Mas não tenha pressa, nem apresse o caranguejo... Já que ele gosta de andar pra trás, conte a sua vida (menos os seus romances), as histórias da sua família, mostre seu álbum de fotografias de infância...

***

Leão

Os leoninos querem ser elogiados e reconhecidos por suas aptidões naturais. São fiéis e gostam de relacionamentos calorosos; ai de você se não lhe der a devida atenção ou flertar com outra pessoa. Nunca descuide da aparência, não cometa gafes e evite fracassar nas suas atividades pessoais. Eles querem se sentir importantes e vinculados a alguém que demonstra ser especial, com os atributos necessários para fazer parte da vida deles.

Como conquistá-lo:

Leoninos gostam de se sentir especiais. Se vêm como especiais - jamais questione isso. Como o rei das selvas, gostam de se ver rodeados de súditos, mimados, acarinhados como gatinhos fofinhos. Se quer atrair esse bichinho dengoso e mantê-lo ronronando e bem juntinho de si, você não pode ser simplesmente mais um na sua corte, não se submeta: você tem que fazê-lo perceber que você também é especial... O que é "dele" tem que ser do mais alto nível. É importante que ele possa admirá-lo, respeitá-lo como um igual... Em termos.

Regidos pelo Sol, luminosos e magnéticos, fazem tudo girar ao seu redor e criam uma atmosfera teatral por onde passam. A vida é para eles um grande acontecimento, cheia de glamour, de efeitos especiais e cenas de cinema. Não o incomode com detalhes cinzas e corriqueiros - participe de seu filme. Caso você seja daqueles tipos muito práticos e terra-a-terra, a coisa pode ser difícil... Não espere que o leonino mude. Ou você adere a suas brincadeiras ou ele vai achá-lo muito chato, empurrá-lo com sua pata macia e tirar uma soneca aí mesmo na sua frente.

Generosos, adoram dar presentes e festas e com freqüência enfrentam grandes empreitadas e dificuldades para fazer o melhor. Se quer vê-lo dando pulos de alegria, manifeste que simplesmente amou o que ele lhe deu ou proporcionou.

Elogie seus esforços, pois precisam ter seu valor reconhecido e relembrado o tempo todo. Nada como colher os louros da vitória e do sucesso... Indiferença, jamais, isso acaba com eles. Elogie, encha sua bola; mas sem exageros, pois embora vaidosos, desprezam puxa-sacos e subserviência.

Sua noção de medida tem margens elásticas, ou seja, extremas. No amor, o ser de Leão não consegue só gostar muito de alguém, de uma forma tranqüila e amena, nada disso: ou não gosta ou estará loucamente apaixonado. E vai tratá-lo como o gato/gata da sua vida.

Seus encontros devem ter sempre um ar romanesco, grandioso e brilhante, como se fosse eternamente a primeira vez. É muito provável que ele se encarregue de criar esse clima, mas você pode contribuir, claro... A começar pela roupa para sair/estar com ele. O leonino admira a beleza e a elegância e gosta de ver que você se preparou especialmente para ele. Sim, especialmente... E não se surpreenda se seu caro traje de griffe for desfiado por suas garras afiadas, sedutoramente, no tapete vermelho que você estendeu pra ele...

***

Virgem

Quem é de Virgem dará sempre muita atenção ao modo como sua vida está organizada e estruturada. Eles não gostam de pessoas desleixadas e que não cumpram suas responsabilidades. São fiéis e preocupados com a vida profissional do parceiro. Procure demonstrar atenção com detalhes, pois eles não gostam de nada que seja deixado ao acaso. O modo como as questões materiais são encaradas é de suma importância.

Como conquistá-lo:

Para começar bem, chegue na hora marcada: nunca falhe com um virginiano. Assim agradará aos tipos mais metódicos e também aqueles hipersensíveis que, ou entram em vertiginosos processos de rejeição ou que se desesperam, achando que aconteceu algo grave com você.

O ser de Virgem pode ser um poço de sensibilidade e emoção, mas geralmente faz de tudo para disfarçar que se sente vulnerável ao que acontece ao seu redor. Se você acha que ele é muito crítico e exigente com você, imagine como é consigo mesmo... Leva a autocrítica ao extremo e pode se sentir responsável e culpado por qualquer coisa que sai errado.

Costuma ser um pouco tenso e irritadiço - ajude-o a relaxar. Inteligentes e observadores, virginianos apreciam toques de humor e ironia, mas não em cima deles, claro. Muitos são sérios e rigorosos, vai ser bom fazê-los rir e brincar. Questionadores, racionais, podem levar algum tempo para entender uma boa piada.

Há também, mais raros, aqueles que são bem ao contrário, os que riem sozinhos (e fazem os outros rirem), se divertindo com os detalhes tão pequenos da vida cotidiana e das pessoas. De uma forma ou outra, estão atentos às sutilezas e vão gostar de ver que você está ligado às suas percepções e é cúmplice de suas idéias.

Como um signo de Terra, é voltado para o universo das coisas práticas e gosta de produzir, de fazer as coisas acontecerem, além de aperfeiçoar e melhorar a qualidade do que já existe. Uma boa maneira de se aproximar ou chamar sua atenção é trabalhar com ele, compartilhando sua necessidade (às vezes compulsiva) de contribuir para o mundo. Adoram se sentir necessários e úteis, enfim, que são importantes pra você... Consertar o seu chuveiro ou costurar suas meias pode ser uma prova de amor como nenhuma outra - saiba reconhecer e valorizar seus gestos de carinho.

E, como é característico do elemento Terra, tem um lado sensual muito forte, só que nem sempre são muito demonstrativos - gostam de saber onde estão pisando. Podem demorar um pouco pra esquentar, mas depois que esquentam, Virgem nossa! Não pense que o nome dado a esse signo corresponde a um padrão.

Na verdade, seu simbolismo se origina dos mitos antigos ligados às deusas da fertilidade da natureza, que eram chamadas virgens e não ao sentido comum de "imaculado", etc. Sua relação com a natureza, com as plantas e a terra é muito intensa... Um final de semana longe da cidade pode ser revitalizador e estimulante. Vá fazendo as reservas num hotelzinho aconchegante. O clima romântico e roupas de baixo insinuantes ficam por sua conta - não fique esperando que virginianos se preocupem com isso, ora, são tão ocupados...

***

Libra

As pessoas de Libra gostam de pessoas educadas e refinadas, que não cometam gafes e saibam se portar em reuniões sociais. Procure vestir-se sempre com elegância, pois eles detestam pessoas desleixadas ou extravagantes. São fiéis e a reciprocidade é o princípio que orienta suas vidas. O casamento tende a ser o desdobramento natural de toda relação afetiva na qual tomem parte.

Como conquistá-lo:

O primeiro mandamento a ser respeitado é: nunca apareça todo amarrotado, com aquela cara de quem acabou de sair da cama, nem surpreenda um libriano nas mesmas condições... A não ser que queira acabar com seu romance. Para Libra, beleza é fundamental.

Para agradar alguém deste signo de apurada sensibilidade estética, você não precisa ser nenhum top model, mas tem que cuidar bem de sua aparência. Os próprios librianos costumam ser muito elegantes e querem que quem está a seu lado combine com eles, não pode quebrar a harmonia do conjunto. Além disso, apreciam que os outros também admirem e gostem de você... A opinião das pessoas é muito importante.

Caso você seja daquele tipo que quer ficar sempre sozinho com a pessoa amada, incógnito, ou escondido em uma ilha deserta, talvez tenha sérios problemas, pois é um signo altamente social. Libra gosta de fazer tudo junto, adora companhia - e só a sua às vezes pode não ser o suficiente. Isso não quer dizer que não gosta de você, é que o libriano sente necessidade de convivência com os outros seres humanos e de participar no que acontece com a sociedade. Se você é flexível e entrar no embalo, ótimo, e melhor ainda se também propuser programações interessantes com amigos.

Regido por Vênus, o planeta do amor, da união, da arte e da beleza, Libra valoriza os relacionamentos como ninguém e faz de tudo para agradar aqueles que ama. Para não perturbar seu senso de justiça, recomenda-se que você também aja assim. Embora librianos sejam os primeiros a preparar o ambiente, criar situações românticas e dar presentinhos, não vai fazer mal nenhum se você imitá-los...

Para o signo da Balança, harmonia e equilíbrio são palavras-chaves - convém que você as inclua em seu vocabulário e as siga ao pé da letra, nas mais diversas situações. Como um signo de elemento Ar, o mental predomina sobre o emocional, o que se estende às relações afetivas.

Não espere explosões emocionais, ataques de paixonite e tampouco o atropele com essas manifestações barulhentas. Se você é daqueles que gosta de falar alto, bater portas e precisa de uma boa briguinha de vez em quando, procure outro signo. Talvez você nem perceba que o libriano foi embora enquanto você esbravejava...

Diplomático e educado, sempre vai querer resolver as coisas com uma conversa amigável, depois que você se acalmar, claro. Não fique pensando que está sendo frio, que não sente, que não ama você, e tudo e tal - é que gostam de manter os pratos da balança bem alinhados.

***

Escorpião

Os escorpianos gostam de pessoas sedutoras e que pratiquem muito sexo. Adoram envolver-se com quem cultiva uma certa aura de mistério e precisam de provocações e estímulos que apimentem a relação. São muito ciumentos e possessivos. Para eles, a entrega na relação tem que ser de corpo e alma. Odeiam pessoas melosas e frágeis, pois querem um parceiro forte e seguro psicologicamente.

Como conquistá-lo:

Aqueles que adoram emoções fortes, como andar à beira de um vulcão, têm satisfação garantida com Escorpião. Seduzi-lo porém, não é tarefa fácil, principalmente porque, talvez você ainda não tenha percebido, o seduzido é você.

Misteriosos como eles só, gostam do que é enigmático e que ainda está para ser descoberto. Desse modo, não vá se atirando por cima de um ser de Escorpião, só porque leu em algum lugar que esse signo é ligado à sexualidade. A coisa não é bem assim, ele quer muito mais do que seu corpo: quer nada além de sua alma.

Se quer algo mais do que uma noite (o que também é difícil de se conseguir), melhor agir de forma estratégica, o que aliás é o modus operandi dele mesmo. Insinuar, dizer uma coisa com as palavras e outra com o olhar, enviar sinais sutis e desenhar quebra-cabeças e deixar pistas para que os escorpianos o sigam, certamente pode levar a melhores resultados.

São uma espécie de detetives, investigadores da alma humana, atraídos pelo raro, pelo secreto, pela essência por detrás das aparências. Nem pense em enganá-los, sua visão de raio-x acessa sites inexplorados de você que nem você mesmo sabe a senha... Uma das principais chaves é conquistar sua confiança, mas não fique fazendo promessas e se marqueteando para essa desconfiadíssima e cautelosa criatura, o próprio escorpiano se encarregará de descobrir tudo sobre você.

Algumas pessoas se arrepiam ao se verem tão desvendada assim (será esse o seu caso?); outras, se dão conta que, ao envolverem-se com Escorpião, estão se tornando mais conscientes de suas próprias emoções e revelando-se a si mesmas.

Já deu pra notar que o pessoal desse signo não é de brincadeira... Mas não precisa ter medo deles, tire da cabeça todas essas bobagens do tipo "Escorpião é traiçoeiro" que andou ouvindo por aí. Só usarão seu ferrão se forem cutucados. Sérios, justos e verdadeiros, agem assim com os outros e esperam o mesmo, principalmente daqueles que amam.

Se quer atrair um Escorpião, saiba que seu caráter, seu interior é o grande ímã. Isso também não dispensa cuidados especiais com sua aparência, como roupas sexys (mas sem entregar o ouro), nunca esquecendo de garantir uma boa cuequinha de seda ou uma lingerie rendada...

Está pronto para banhar-se 24 horas por dia, 7 dias por semana no caldeirão quente da paixão? Bem, Escorpião é dedicado e gosta de receber toda a sua atenção. Podem ser um pouquinho possessivos e ciumentos, mas não farão escândalos... Melhor não dar motivo.

***

Sagitário

Quem é de Sagitário detesta parceiros que fiquem tolhendo a sua liberdade pessoal e controlando tudo o que fazem. Dê sempre muito espaço e não cobre atenção em demasia; por incrível que pareça, esta é a melhor forma de fisgá-los. Quanto mais você demonstrar que a união de vocês não acarretará restrições à sua vida, mais eles valorizarão você como parceiro. Gostar de viajar, viver aventuras e praticar muito sexo é fundamental. Se você é do tipo carente e que precisa de atenção o tempo todo, eles não saberão como lidar com isso.

Como conquistá-lo:

A imagem que o representa é um centauro, uma figura mitológica cuja metade inferior é de um cavalo e a superior de um homem. Este ser indócil, inconformado com as limitações do tempo e do espaço, que nem cavalo nem homem podem vencer, empunha um arco e lança suas flechas a longas distâncias, buscando nada mais que o divino.

Sagitário, o arqueiro, é motivado por altos ideais e aspirações. Mesmo sob condições extremas de paixão, não seja um alvo fácil de alcançar. Se for assim, logo perderá a graça e ele irá em busca de outro ideal. Precisam conquistar, viver as atrações e emoções da jornada. Se há algo que não consegue suportar é o tédio - tome as devidas providências. Quais? Ora, use sua imaginação.

Quer enlouquecê-lo? Convide-o para viajar - quanto mais longe melhor... Mas se for só um final de semana e sua grana estiver curta, ir ali em Timbiruva pode servir.

O que importa é que você possa suprir ou, ao menos, acompanhar seu desejo de aventura e de expansão de horizontes.

Se pensa em amarrar ou obrigar um sagitariano a ficar na cocheira por muito tempo, pode ir tirando seu cavalinho da chuva - ele preza muito a sua liberdade. Talvez as únicas maneiras de mantê-lo em casa sejam:

a) no caso do Sagitário tipo pensador, as atividades intelectuais o atraem, pois valoriza o conhecimento e a cultura e gostam de filosofar e falar sobre o que pensam - recomenda-se que você seja um bom ouvinte, pois talvez não tenha chance de dar sua opinião, a não ser que consiga fasciná-lo com seu bom papo.

b) o tipo festeiro gosta de receber os amigos em casa e generosamente proporcionar boa comida e bebida, nas quais ele próprio também se fartará - e não vai ser você o desmancha-prazeres, não é?

c) o tipo desportista, bem, esse geralmente prefere fazer sua ginástica em espaços abertos, mas você pode convidá-lo para ver sua nova bicicleta ergométrica, pedir que ele lhe ensine uma série especial de exercícios... Eles adoram ensinar.

Para evitar cair do cavalo, não leve suas tantas promessas muito a sério, tampouco as cobre... Além de chato, você pode passar por mentiroso, pois pode nem se lembrar que ontem, no calor da hora, pediu você em casamento.

***

Capricórnio

As pessoas de Capricórnio são muito atentas à vida material e profissional dos seus parceiros e não gostam de pessoas demasiadamente humildes ou que se contentem com pouco. Não são de demonstrar o afeto enfaticamente e detestam pessoas frágeis emocionalmente. A responsabilidade com que você conduz a sua vida é fundamental para eles. Procure mostrar-se focado em seus objetivos pessoais e concentre-se nas suas ambições.

Como conquistá-lo:

Não fique esperando que um capricorniano faça loucuras por você. Em se tratando de Capricórnio, Maomé, ou seja, "você" tem que ir à montanha, pois certamente a montanha não virá até Maomé. Para conquistá-lo, você vai precisar fazer um curso de alpinismo e munir-se da mesma determinação e paciência das cabras.

Mostre o seu empenho, isso vai contar muitos pontos a seu favor. O desempenho, bem, fica para a "hora h", mas saiba que esta hora poderá demorar um pouco pra chegar.

Cabreiros, a maior parte dos cabritos desconfiam de todos, até que se prove o contrário. Essa vai ser uma importante missão para você: provar que é alguém confiável. Se só o que está querendo é se divertir um pouquinho, desista, capricornianos não fazem bem esse tipo... A não ser que isso fique claramente negociado, contratado e autenticado em cartório. Mas se você quer um relacionamento estável e precisa de segurança emocional, com direito a um bônus de segurança material, escolheu bem, são o típico bom partido.

Extremamente reservados e cautelosos, não se mostram e, embora gostem de dar as cartas, você é que vai ter que abrir o jogo, mas devagarinho, pois precisam de tempo para ruminar.

Mesmo que lhe pareçam um osso duro de roer, saiba que lá dentro tem tutano... Profundos, anseiam por confiar em alguém e poderem se abrir. Por baixo de tudo, lá está um romântico e sensual capricorniano. Sim, sensual - os signos de Terra conhecem bem o mundo dos sentidos. Capricórnio é eficiente, valoriza a qualidade e busca a excelência, portanto não vai decepcioná-lo. Além disso, mantém o nível, é constante e, salvo exceções, é fiel.

Como ele se compromete, comprometa-se você também. Quer que tudo com que se envolve seja um sucesso e obviamente o relacionamento se inclui na sua imensa lista de tarefas. Costumam trabalhar muito para chegar onde querem. Se você tem muito tempo livre, evite ficar pensando bobagens enquanto ele faz hora extra e, melhor, ajude-o nos seus projetos.

Capricornianos admiram aqueles que, como eles, sobem montanhas e, nos dias de folga, carregam pedras.

Nem tudo precisa ser tão sério, contudo. Regidos por Saturno, aquele planeta com anéis de gelo, apesar da aparência de "mantenha distância", estão loucos pra se derreter. Capricornianos precisam se divertir, ajude-os a descontrair e brincar - a soltar a criança que existe dentro deles. Convença-os a tirar férias com você e providencie tudo. Mesmo que eles relutem até a última hora e arranjem mil razões e impossíveis, insista. Isso vai lhes fazer muito bem e a você também - satisfação garantida.

***

Aquário

Os aquarianos querem um parceiro original e independente, que tenha um comportamento mais antenado com os tempos atuais e seja inteligente. Não gostam de pessoas muito pegajosas ou carentes, pois não são dados a demonstrações enfáticas de afeto ou ciúme. Se você é do tipo tradicional, eles não foram feitos para você. Eles admiram quem está engajado em alguma causa, tenha muitos amigos e não seja demasiadamente caseiro.

Como conquistá-lo:

Não grude, não aperte, não force, não pressione. Como um signo de Ar, Aquário precisa de muito espaço: deixe o aquariano respirar. Sua liberdade (de pensamento e de ação) é seu bem mais precioso, nem pense em tirar isso dele.

Regidos por Urano, o planeta da eletricidade e das tempestades, podem ser fascinantes e imprevisíveis - nunca se sabe onde o raio vai cair. Não é difícil se aproximar de alguém de Aquário, pois geralmente adoram conhecer pessoas - ser íntimo, entretanto, á algo do tipo missão (quase) impossível. Se você gosta de desafios e não desanima diante de algumas manobras frustradas, ótimo, mas se é daqueles que por qualquer coisa correm pro divã do analista...

Tornar-se amigo de um aquariano é um bom começo, porém não espere nenhuma deferência especial, pois tem amigos em todas as esquinas do mundo e, quem sabe, da galáxia. Algo que pode chamar sua atenção, sim, são idéias e ideais... Coisas que ele tem de sobra, mas sempre cabe mais um.

A possibilidade de realizá-los e antes de tudo, conversar sobre eles com alguém pode ser muito estimulante e, acredite, excitante, em vários sentidos. Você nem vai precisar dar corda, pois ele tem baterias próprias, e das alcalinas.

Como os ideais são sua prioridade, deduza em que posição ficam as emoções... O que não quer dizer que sejam frios, sem sentimentos, não é isso. O que acontece é que os aquarianos não sabem muito bem como se movimentar no terreno emocional.

O plano das idéias e dos conceitos é seu chão e o mundo dos anjos o seu habitat natural, ambientes em que paixão, possessividade, ciúmes, ira e outras coisas de humanos são só abstração. Na verdade têm dificuldade em contatar com suas próprias emoções, das quais, muitas vezes, não têm a menor noção. Você pode ajudá-los, contribuindo para seu processo de autoconhecimento e despertar da consciência. Só não esqueça: sem pressão. Além de detestarem qualquer coisa que os prenda, sob sua aparência de racionalidade e calma, podem ser bastante estressados. E não vai ser você que vai querer levar choques de no mínimo 220 V...

Não fique chateado(a) se as técnicas habituais de sedução como aquele implacável perfume que mexe com os instintos, aquele vestido com o infalível decote ou a declaradora calça de couro justíssima não surtirem o resultado esperado. Para seduzir o ser de Aquário, o melhor é ser tão excêntrico quanto ele: seja criativo e invente alguma coisa diferente, de preferência algo meio maluco, insólito, que o surpreenda. Às vezes algo simples como uma sessão no planetário pode resultar em uma noitada inesquecível.

***

Peixes

As pessoas de Peixes são sensíveis e o relacionamento tem de ser intenso do ponto de vista emocional. Tendem ao romantismo e não gostam de pessoas que fiquem apontando seus defeitos e falhas, afinal, o amor para eles é incondicional. Se você é muito materialista ou preocupado com o lado prático da vida, este não será o relacionamento ideal. Busque ser generoso, pois eles detestam pessoas ligadas a mesquinharias ou muito apegadas ao dinheiro.

Como conquistá-lo:

Pescar alguém de Peixes pode ser fácil, mantê-lo ao seu lado é outra história... A sua onda tem que ser muito interessante, ou você vai vê-lo desaparecer na espuma. Nem pense em querer possuí-lo, não fique achando que ele já está fisgado - é escorregadio como um peixe, rápido como um reflexo na água.

Há peixes de inúmeras formas, tamanhos e temperamentos. O signo de Peixes é representado por dois peixes que, embora interligados por uma linha, nadam em direções opostas - as possibilidades se multiplicam.

A pessoa deste signo pode ser uma criatura paradoxal, contrastante, contraditória, variável e, por isso mesmo, fascinante. Se você gosta de olhar o mar e se embalar em suas variações e flutuações, maravilha, pois nunca vai se entediar. Mas saiba que tem que ficar com o kit completo: calmaria, maremoto, redemoinhos, marés, ressacas... Não exija, ou melhor, nem se desgaste querendo que um pisciano siga um roteiro pré-fixado ou que faça exatamente o que foi combinado, não o entedie com regrinhas.

Para agradar esse ser multifacetado, sensível e receptivo, não tenha medo de ser romântico: lugares bonitos, música suave, flores, incensos e um bom vinho sempre funcionam bem. Se você for do tipo inspirado, um poema, um cartão escrito por você podem resultar em efeitos especiais.

Cheios de fantasia, piscianos adoram cinema, melhor ainda se puderem fazer da vida um filme - sejam vocês dois os astros principais. Faça a cena, solte sua criatividade com o pisciano, ele vai adorar e embarcar na sua onda. Como a Água, o seu elemento, Peixes quer se dissolver, se misturar com tudo, fundir-se no Todo e viver eternamente em êxtase. Não estrague a noite falando sobre a alta do dólar!

Peixes está conectado aos princípios do universo, sua meta é a unidade com o divino, a transcendência. Para tanto, não respeita limites, nem os de sua própria matéria, muitas vezes entregando-se a excessos e transbordamentos. Sua idéia de universalidade se estende ao amor, pois está sempre amando alguém ou algo, sem medidas, claro. Sorte a sua se você caiu na rede.

Se você gosta de um ser de Peixes, saiba que ele é um amante do amor, portanto faça romance - faça do amor uma obra de arte. Namore muito, mande bilhetinhos dizendo que o ama, faça surpresas, crie situações especiais a cada encontro. O importante é o clima, a atmosfera de sonho. Não precisa luxo e ostentação, pois o que conta mesmo é a imaginação. Isso o pisciano tem de sobra, pode até emprestar pra você.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Esoterismo ou Exoterismo?

imagem do google*


Esoterismo é o nome genérico que designa um conjunto de tradições e interpretações filosóficas das doutrinas e religiões que buscam desvendar seu sentido supostamente oculto.

Segundo alguns, o esoterismo é o termo para as doutrinas cujos princípios e conhecimentos não podem ou não devem ser "vulgarizados", sendo comunicados a um restrito número de discípulos escolhidos.

Um sentido popular do termo é de afirmação ou conhecimento enigmático e impenetrável.

Hoje em dia o termo é mais ligado ao misticismo, ou seja, à busca de supostas verdades e leis últimas que regem todo o universo, porém ligando ao mesmo tempo o natural com o sobrenatural.

Há doutrinas, nomeadamente as espiritualistas, que são também chamadas esotéricas.

Existem duas espécies de conhecimento: esotérico e exotérico. O termo "exotérico" (antônimo de "esotérico", apesar de ter a mesma pronúncia) se refere ao ensinamento que nas escolas da Antiguidade grega era transmitido ao público sem restrições, por se tratar de ensinamento dialético, provável e verossímil. O conhecimento exotérico ou conhecimento do mundo exterior é aquele que percebemos através dos sentidos físicos.

Mme. Helena Blavatsky, que é considerada a criadora da moderna Teosofia, dizia que o termo "esotérico" refere-se o que está "dentro", em oposição ao que está "fora" e que é designado como "exotérico". Aponta o significado verdadeiro da doutrina, sua essência, em oposição ao exotérico que é a "vestimenta" da doutrina, sua "decoração". Também segundo ela, todas as religiões e filosofias concordam em sua essência, diferindo apenas na "vestimenta", pois todas foram inspiradas no que ela chamou de "Religião-Verdade".

* Wikipédia

***

por António de Macedo

O que é o Esoterismo?

O substantivo «esoterismo» é de formação relativamente recente, por comparação com o adjectivo «esotérico», de origem grega, donde deriva.

O adjectivo eksôterikos, -ê, -on («exterior, destinado aos leigos, popular, exotérico») já existia em grego clássico, ao passo que o adjectivoesôterikos, -ê, -on («no interior, na intimidade, esotérico») surgiu na época helenística sob o Império romano. Diversos autores os utilizaram. Veremos dentro em pouco alguns exemplos.

Têm a sua origem, respectivamente, em eisô ou esô (como preposição significa «dentro de», como advérbio significa «dentro»), e eksô (como prep. significa «fora de», como adv. significa «fora»). Destas partículas gramaticais (preposição, advérbio) os gregos derivaram comparativos e superlativos, tal como no caso dos adjectivos. Em regra, o sufixo grego para o comparativo é -teros, e para o superlativo é -tatos. Por exemplo, o adjectivo kouphos, «leve», tem como comparativo kouphoteros, «mais leve», e como superlativo kouphotatos, «levíssimo». Do mesmo modo, do adv./prep. esô obtém-se o comp. esôteros, «mais interior», e o sup. esôtatos, «muito interior, interno, íntimo».

O adjectivo esôterikos deriva, portanto, do comparativo esôteros. Certos autores, porém, talvez mais imaginosos, propõem outra etimologia, baseada no verbo têrô que significa «observar, espiar; guardar, conservar». Assim, esô + têrô significaria qualquer coisa como «espiar por dentro e guardar no interior».

Platão (427-347 a. C.) no seu diálogo Alcibíades (aprox. 390 a. C.) utiliza a expressão ta esô no sentido de «as coisas interiores», e no diálogo Teeteto (aprox. 360 a. C.) utiliza ta eksô com o significado de «as coisas exteriores». Por sua vez Aristóteles (384-322 a. C.) utiliza o adjectivo eksôterikos na sua Ética a Nicómaco (I, 13), cerca do ano 350 a. C., para qualificar o que ele chama os «discursos exotéricos», ou seja, as suas obras de juventude, de fácil acesso a um público mais geral.

O primeiro testemunho do adjectivo esôterikos encontramo-lo em Luciano de Samosata (aprox. 120-180 d. C.) na sua obra satírica O Leilão das Vidas, § 26 (também chamado O Leilão das Escolas Filosóficas), composta cerca do ano 166 d. C.

Mais tarde, os adjectivos eksôterikos e esôterikos passaram a ser aplicados, por engano, aos ensinamentos de Aristóteles por Clemente de Alexandria (aprox. 150-215 d. C.) na sua obra Strômateis, composta cerca do ano 208 d. C.: «As pessoas da escola de Aristóteles diziam que, entre as suas obras, algumas são esotéricas e outras destinadas ao público ou exotéricas» (Strômateis, Livro V, cap. 9, 58). Clemente supunha que Aristóteles era um iniciado, e portanto seriam «esotéricos» os ensinamentos que facultava no seu Liceu a discípulos já instruídos. Na verdade era apenas um ensino oral e Aristóteles qualificava-o como «ensinamento acroamático», que quer dizer «transmitido oralmente», nada tendo de esotérico no sentido iniciático do termo.

O teólogo alexandrino Orígenes (aprox. 185-254 d. C. ), discípulo de Clemente, já usa ambos os adjectivos em conotação com o «oculto», ou melhor, o «iniciático»; contestando as críticas do anti-cristão Celso, diz Orígenes: «Chamar oculta à nossa doutrina é totalmente absurdo. E de resto, que haja certos pontos, nela, para além do exotérico e que portanto não chegam aos ouvidos do vulgo, não é coisa exclusiva do Cristianismo, pois também entre os filósofos era corrente haver umas doutrinas exotéricas, e outras esotéricas. Assim, havia indivíduos que de Pitágoras só sabiam “o que ele disse” por intermédio de terceiros; ao passo que outros eram secretamente iniciados em doutrinas que não deviam chegar a ouvidos profanos e ainda não purificados» (Contra Celsum, Livro I, 7).

O termo «esotérico» começou a ser usado como substantivo a partir de Jâmblico (aprox. 240-330 d. C.), filósofo e místico neoplatónico que se refere aos discípulos da escola pitagórica nos seguintes termos: «Estes, se tivessem sido julgados dignos de participar nos ensinamentos graças ao seu modo de vida e à sua civilidade, após um silêncio de cinco anos, tornavam-se daí em diante esotéricos, eram ouvintes de Pitágoras, usavam vestes de linho e tinham direito a vê-lo» (Vita Pythagorica, cap. 17, 72).

O conceito de «esoterismo» é de criação muito mais recente. Johann Gottfried Herder (1744-1803), que se opôs ao racionalismo Iluminista da sua época, foi o primeiro autor a utilizar a expressão esoterische Wissenschaften («ciências esotéricas»), referenciável no tomo XV das suasSämtliche Werke, e o substantivo l’ésotérisme surgiu pela primeira vez na obra Histoire critique du gnosticisme et de ses influences (1828), de Jacques Matter. Na sequência, deve-se ao ocultista e cabalista Eliphas Lévi (1810-1875) a vulgarização dos termos «esoterismo» e «ocultismo» (este último na sua acepção moderna e mais lata de corpus de «ciências ocultas», diferente da Occulta Philosophia, ou Magia, de Agrippa, por exemplo). A partir de então o termo adquiriu uma voga crescente, sobretudo depois que Helena P. Blsvatsky, A. P. Sinnett, Annie Besant, C. W. Leadbeater, etc., da corrente teosofista da Sociedade Teosófica popularizaram o conceito, desde o último quartel do século xix e ao longo dos inícios do século xx.

Paralelamente, certos autores começaram a encarar o estudo do esoterismo de um ponto de vista mais académico, não se considerando, eles mesmos, «esotéricos», mas investigadores quer da história quer das ideias de determinadas correntes espirituais, místicas ou ocultas. Entre estes contam-se por exemplo, nos finais do século xix, George R. S. Mead e Arthur Edward Waite, cujos trabalhos, apesar de tudo, ainda se encontram a meio-caminho entre o «discurso esotérico» e a pesquisa universitária. No primeiro quartel do século xx, Max Heindel (1865-1919) estabeleceu a distinção técnica entre «o oculto» e «o místico», e, embora inserido numa específica corrente esotérica, deu forma consistente, nas suas obras, quer à vertente mística quer à vertente oculta do esoterismo. Por sua vez Rudolf Steiner (1861-1925), igualmente inserido numa corrente esotérica bem definida, abordou o esoterismo segundo um duplo enquadramento, ocultista e científico. René Guénon (1886-1951) trabalhou o esoterismo, genericamente, segundo uma perspectiva mais filosófica do que histórico-crítica, tendo o cuidado de distinguir entre o esoterismo cristão, o islâmico e o védico; todavia, o grande impulso para o estudo do esoterismo de um ponto de vista de investigação académica surgiu a partir de 1928, com a tese de Auguste Viatte sobre o Iluminismo, seguindo-se-lhe as pesquisas e os trabalhos de Will-Erich Peuckert sobre a pansofia e o rosacrucianismo, de Lynn Thorndike sobre a história da magia, da Prof.ª Frances A. Yates sobre o Iluminismo rosacruz e o esoterismo renascentista, etc., devendo-se a esta última o principal estímulo para uma pesquisa universitária, rigorosa, incidindo sobre o «território esotérico», o que fez alterar o respectivo panorama investigacional a partir dos anos 60 e 70 do século xx. O prof. Antoine Faivre, mais recentemente, chama a atenção para os estudos de Ernest Lee Tuveson sobre o hermetismo na literatura anglo-saxónica dos séculos xviii e xix, e de Massimo Introvigne sobre os movimentos «mágicos» dos séculos xix e xx, sobretudo pelo facto de proporem abordagens novas, interdisciplinares.

Actualmente, é já bastante vasto o leque de autores que estudam o esoterismo em ambiente de investigação académica, tendo-se tornado consensual a designação de «esoterólogos» para alguns desses investigadores, o que pressupõe uma ciência da Esoterologia que está a ter acolhimento nos curricula de algumas Universidades. Nem todos coincidem, porém, nas suas posições e definições do campo investigacional do «esoterismo», podendo de certo modo, e sem tentar uma conciliação entre os diferentes autores, dizer-se que existem vários «esoterismos».

Por amor à brevidade, limitar-me-ei a salientar alguns esoterólogos contemporâneos cujos trabalhos são de capital relevância para a compreensão do «objecto temático» do esoterismo:

Prof. Antoine Faivre — Director de Estudos da École Pratique des Hautes Études - Section Sciences Religieuses (Sorbonne, França);

Dr. Wouter J. Hanegraaff — Professor de História da Filosofia Hermética e Correntes Relacionadas - Faculdade de Humanidades da Universidade de Amesterdão (Holanda) e orientador de pesquisas sobre História das Correntes Esotéricas - Departamento de Ciência das Religiões da Universidade de Utrecht (Holanda);

Prof. Pierre A. Riffard — Investigador de Metodologia de Esoterismo e professor Catedrático na Université de Novakchott (Mauritânia);

Prof. Massimo Introvigne — Historiador das Correntes Esotéricas Contemporâneas e Director do Centro Studi sulle Nuove Religioni, Turim (Itália);

Prof. Roland Edighoffer — Professor emérito na Université de Paris III (Sorbonne Nouvelle, França);

Prof. José Manuel Anes — Grão-Mestre da GLRP/LP (Maçonaria Regular de Portugal) e professor de História das Correntes Esotéricas no Instituto de Sociologia e Etnologia das Religiões da Universidade Nova de Lisboa (Portugal).

Em termos muito simplificados podemos dizer que duas grandes tendências gerais se perfilam entre estes autores: uma, poder-se-á designá-la por «universalismo pró-esotérico», e outra, por «estruturação histórico-crítica». O prof. Wouter J. Hanegraaff ainda considera uma terceira tendência a que chama «formas de anti-esoterismo», que, por não serem indispensáveis neste breve resumo, me abstenho de considerar aqui.

Na linha do «universalismo pró-esotérico» incluem-se os trabalhos e a actividade universitária de professores como Pierre A. Riffard e José M. Anes, por exemplo. Segundo Riffard, o esoterismo tanto existe no Ocidente como no Oriente, desde a pré-história até aos nossos dias, e tem a ver com o mistério da existência tal como é percebido pelos seres humanos; além disso, Riffard critica certos investigadores académicos que procuram estudar o esoterismo «de fora», como se pudesse existir um «fenómeno cultural esotérico» independentemente do esoterismo em si. Segundo Riffard, a essência do esoterismo é, ela mesma, «esotérica»; na sua monumental obra de perto de 400 páginas, L’ésotérisme, Riffard interroga-se: «Pode alguém ser um esoterólogo sem ser, ao mesmo tempo, um esotérico?» De acordo com este ponto de vista, elabora uma descrição do esoterismo segundo as oito invariáveis que, em sua óptica, o caracterizam:

(1) A impessoalidade do autor; (2) A oposição esotérico/exotérico; (3) A noção de «o subtil» como mediador entre o espírito e a matéria; (4) Analogias e correspondências; (5) A importância dos números; (6) As ciências ocultas; (7) As artes ocultas; (8) A Iniciação.

Uma posição totalmente diferente é assumida pelos profs. Antoine Faivre e Wouter J. Hanegraaff, por exemplo, defensores da linha «histórico-crítica». Segundo Faivre não se deve falar em «esoterismo» mas em «esoterismos», ou melhor, em «correntes esotéricas e místicas», uma vez que ele considera que não há um esoterismo em si, mas apenas correntes, autores, textos, etc. Para que o esoterismo constitua uma especialidade académica reconhecida pela comunidade científica, Antoine Faivre define-o do seguinte modo, de acordo com a Direcção de Estudos da «Section des Sciences Religieuses» (Sorbonne), que ele mesmo integra com outros docentes: um corpus de textos que constituem a expressão dum certo número de correntes espirituais, na história Ocidental moderna e contemporânea, ligadas entre si por um «ar de família», bem como uma «forma de pensamento» que subjaz a essas correntes. Considerado de forma extensiva, esse corpus estende-se da Antiguidade tardia até hoje; considerado de forma limitativa, abarca um período que vai do Renascimento até à época contemporânea.

Isto implica que, ao contrário das teses «universalistas», ficam excluídos do conceito de esoterismo alguns significados que Antoine Faivre enumera de modo a deixar bem claro o que, de acordo com o seu critério, o esoterismo «não é»: (a) Um termo genérico, mais ou menos vago, que serve para os editores e livreiros classificarem colecções de livros ou rotularem prateleiras, e onde cabem o paranormal, as ciências ocultas, as tradições sapienciais exóticas, etc.; (b) Um termo que evoca a ideia de ensinamentos secretos e uma «disciplina do arcano», com diferenciação entre iniciados e profanos; (c) Um termo aplicável a um certo número de processos mais experienciais que racionais, e que se aproxima da ideia de Gnose no sentido universal, propondo-se atingir, mediante certas técnicas experienciais, o «Centro do Ser» (Deus, o Homem, a Natureza, etc.), não se excluindo, desta concepção, uma atitude filosófica que advoga a «unidade transcendente» de todas as religiões e tradições.

Em contrapartida, aquela «forma de pensamento» que Faivre considera como própria do conceito de esoterismo distinguir-se-ia por seis características ou componentes fundamentais, das quais quatro são «intrínsecas», no sentido em que a sua presença simultânea é uma condição necessária e suficiente para que um discurso seja identificado como esotérico, e duas são «secundárias» ou «extrínsecas», e cuja presença pode ou não coexistir ao lado das outras quatro. São elas:

(1) A ideia de correspondência («O que é em cima é como o que é em baixo», segundo a Tábua da Esmeralda ) (2) A Natureza viva (o Cosmos não é apenas complexo, plural, hierarquizado, etc.: é sobretudo uma Grande Entidade Cósmica viva); (3) Imaginação e mediadores (a imaginação é a faculdade superior de penetrar nos códigos que se ocultam nos mediadores, os quais, por sua vez, são os rituais, as imagens do Tarot, as mandalas, etc., etc., símbolos carregados de polissemia cuja decifração cognitiva permite o acesso ao mundus imaginalis definido por Henri Corbin); (4) A experiência da transmutação (percurso espiritual simbolizado alquimicamente por três graus: nigredo, ou obra em negro, morte, decapitação; albedo, ou obra elevada ao branco; e rubedo, ou obra elevada ao vermelho, pedra filosofal); (5) A prática da concordância(prática que visa descobrir os denominadores comuns a duas ou mais tradições aparentemente distintas, na expectativa de que, mediante esse estudo comparativo, se alcance o «filão escondido» que levaria à «Tradição primordial», da qual todas as tradições e/ou religiões concretas seriam apenas os «galhos» visíveis da grande «árvore» perene e oculta); (6) A transmissão (conjunto de «canais de filiação» pelos quais se processa a continuidade de mestre a discípulo, ou de iniciação no interior duma sociedade, no pressuposto de que ninguém se pode iniciar sozinho e que o «segundo nascimento» passa obrigatoriamente por esta disciplina).

Outros autores simplificam a questão considerando que o esoterismo se constituiu no Ocidente como disciplina autónoma, a pouco e pouco, a partir de finais da Idade Média, porque a teologia e a ciência absorveram certos temas que o integravam, eliminando outros que, por serem mais inquietantes ou pertencerem ao imaginário mais perturbador, acabaram, com essa expulsão ou mesmo perseguição, por integrar as correntes esotéricas ocidentais, sobretudo a partir do Renascimento. No Oriente , pelo contrário, a teologia contém os temas esotéricos e por conseguinte o esoterismo não precisa de se constituir como disciplina aparte. Segundo este ponto de vista, pode-se falar em esoterismo associado às varias escolas e tendências que se desenvolveram no Ocidente na linha dos ensinamentos de Marsilio Ficino (1433-1499), de Pico della Mirandola (1463-1494) e de Johannes Reuchlin (1455-1522), esoterismo esse que floresceu, sobretudo, na Europa e nos séculos xvi e xvii. A sua principal característica é a rejeição da linguagem comunicativa como expressão da verdade, e a pretensão de que é nas camadas não-semânticas da linguagem que se oculta a antiga Sabedoria. Em extensão a este conceito, não se pode ignorar a importância do pensamento judaico e dos textos hebreus na Europa, cujo torat hasod (conhecimento esotérico) constituiu um corpo específico de tradições secretas na cultura judaica, no centro do qual, e a partir do século xiii, se encontra a Cabala, que teve uma influência de indiscutível relevo no esoterismo cristão.




Áreas do Esoterismo

* Astrologia
* Búzios
* Tarô
* Runas
* Cabala
* Misticismo
* I-Ching
* Eubiose
* Gnose
* Ocultismo
* Cristianismo Esotérico


terça-feira, 17 de abril de 2012

A Astrologia é uma linguagem

imagem do google*

A Astrologia é uma linguagem
A Astrologia é uma linguagem que permite descifrar e interpretar os sinais e as informações associadas às evoluções do Sol, da Lua, dos planetas, dos asteroides, dos pontos astrológicos especiais e das estrelas nos signos zodiacais e nas direções ou ângulos significativos. Este saber é útil no processo de autoconhecimento, e no uso consciente e conveniente das energias planetárias na vida do dia a dia.

Linguagem segundo o dicionário Aurélio:
"Linguagem: ...8.E. Ling. Todo sistema de signos que serve de meio de comunicação entre indivíduos e pode ser percebido pelos diversos órgãos dos sentidos, o que leva a distinguir-se uma linguagem visual, uma linguagem auditiva, uma linguagem tátil, etc., ou, ainda, outras mais complexas, constituídas, ao mesmo tempo, de elementos diversos."

"Linguagem simbólica. 1. Inform. Qualquer linguagem de programação (q. v.) que utiliza símbolos (tais como palavras reservadas, variáveis e operadores) para descrever instruções, estruturas de dados e de controle."


Astrologia Tropical

A astrologia solar é a linguagem que opta pelo Zodíaco Tropical - que toma a eclíptica como referência para o movimento dos planetas e o ponto zero de Áries como o ponto de equinócio de Primavera para o Hemisfério Norte.

A maioria dos astrólogos brasileiros que conheço optam pelo zodíaco tropical. Eu a uso sempre como primeira leitura. Tenho comprovado com os anos a força que ela tem na personalidade. É indiscutível que o enfoque solar da personalidade reina na cultura ocidental, e as pessoas em geral privilegiam suas potencialidades solares, as mais aceitas também pela sociedade.

Toda a educação na casa e nas escolas está focada fundamentalmente no desenvolvimento das potencialidades solares: a consciência e domínio de si, auto-estima, realização pessoal, sucesso, vitória, reconhecimento social.

O mais importante na astrologia solar é estudar e potencializar a situação astrológica do Sol. Tal é a força do Sol na cultura atual que a maioria das pessoas quando se lhe pergunta qual é seu signo, respondem falando o signo solar. Quando na verdade se é todos os signos e se dispõe das funções e faculdades de todos os planetas.

Na cultura atual no ocidente as outras funções planetárias, todas importantes na personalidade, especialmente a função lunar, são vistas como subordinadas a regência do herói solar que habita em cada um. E assim, muitas vezes, as faculdades planetárias são pouco desenvolvidas e subordinadas aos caprichos do eu solar.

É bom ressaltar, como a vida no ocidente é totalmente colocada em função da realização do eu solar desde que se é criança. E se não se tem um comportamento claramente solar se é visto como pessoa com problemas.

A Astrologia que toma o zodiaco tropical como referencia se originou com os estudos de Hiparco e Ptolomeu, mas tem antecedentes na velha Mesopotâmia, com os sumérios.


Astrologia sideral - Zodíaco Sideral

A astrologia sideral é a linguagem que opta pelo Zodíaco Sideral (das constelações zodiacais)- toma a eclíptica como referência para o movimento dos planetas, mas a diferença da Astrologia tropical, toma como ponto zero de Áries, o ponto zero da Constelação de Áries segundo Hiparco e Ptolomeu. A astrologia sideral é então referenciada as constelações zodiacais.

A astrologia sideral foi mais praticada pelos indianos, mas desde metades do século XX foi retomada por alguns astrólogos tropicais como o acesso ao outro enfoque da personalidade.

Alguns astrólogos siderais usam o zodíaco de elongações diferentes de Ptolomeu e outros só partem do ponto zero da constelação de Áries e dividem a eclíptica em 12 partes iguais.

Eu escolho o zodíaco das constelações iguais de 30 graus que oferecem os programas conhecidos de Astrologia. Se diz que o zodíaco sideral fala das potencialidades espirituais.


Astrologia dracônica- Zodíaco dracônico

A astrologia dracônica é a linguagem que opta pelo Zodíaco dracônico (dos signos zodiacais dracônicos)- que toma a trajetória da Lua em torno da Terra como referência para o movimento dos planetas e o ponto zero de Áries como o nodo norte lunar; Conheci faz uns anos a astrologia dracônica e não conheço sua origem. A astrologia dracônica fala do mundo emocional, do passado e para quem consegue ver, vidas passadas.


Os 12 Signos do Zodíaco Tropical
Os signos do zodíaco tropical são habitualmente conhecidos a partir das descrições comportamentais do signo solar. A maioria das pessoas, ainda que desconhecendo astrologia, conhecem seu signo solar, quer dizer o signo onde estava o Sol no momento de nascimento. Assim quando se pergunta: qual é seu signo? fala-se o signo solar.

Ente os astrólogos é comum se descrever os signos e os planetas a partir dos mitos gregos e romanos associados aos seus nomes. É também muito comum se descreverem os signos a partir da associação com o ciclo anual de uma planta acompanhando o ciclo das estações no hemisfério norte: Áries, a semente; Touro, planta-se a semente, Gêmeos, os primeiros brotos, etc. Outra forma de descrever os signos é através de suas características e atributos comportamentais, esta é a forma mais divulgada e poderosa. Todas estas vias dão colorido aos signos mas pecam por limitar o conteúdo dos signos à cultura fonte que os gera.

Os doze Signos Zodiacais também podem ser vistos como os doze canais, campos, substâncias ou padrões de energia básicos de manifestação da vida na Terra. Este enfoque permite fazer uma construção dos conteúdos dos signos mais personalizada e livre das descrições comportamentais clássicas que às vezes restringem os signos a estereótipos, muitas vezes até negativos.

Os doze signos são as três dimensões ou modalidades dos quatro elementos da vida:
Fogo (espírito, energia, força, intuição),
Terra (corpo, e ações de materializar, concretizar, ancorar),
Ar (mente, respiração, expressão e comunicação),
Água (emoção, sentimento, memória emocional).



Descrição dos signos segundo as estações da Natureza
Os signos também podem ser descritos através de suas analogias com as estações da natureza.

É importante ressaltar que o ciclo do transito do Sol no Zodíaco tropical, que expressa a energia dos signos através da função solar, é diferente do ciclo das estações, que tem sua origem na inclinação do eixo da Terra. O ciclo das estações é diferente para o hemisfério sul e o norte. Enquanto é Primavera no norte, no sul é Outono. Quando no norte é Verão, no sul é Inverno. Quando no sul é Outono, no sul é Primavera. Quando no norte é inverno, no sul é Verão. Esta diferença vai provocar diferenças na expressão do Sol nos signos ao serem introduzidos os matizes que introduz a estação correspondente. Ou pode se pensar também que as vibrações específicas do passo do Sol pelos signos deve se adicionar as vibrações específicas da Estação em curso, sempre diferente em cada hemisfério.

É muito conhecida a analogia que se faz entre os signos e o ciclo das estações do hemisfério norte, criadas pelos primeiros astrólogos nascidos no hemisfério norte, e que nos aqui no sul adotamos na íntegra. Aconselho estudar o significado energético das estações do hemisfério sul junto ao ciclo anual do Sol pelos signos. Assim, por exemplo, enquanto o Sol transita pelo signo de Áries o sul encontra-se no Outono – que traz o clima do encontro consigo mesmo e o recolhimento. Um ariano nascido no sul, inicio do Outono estará carimbado com esta energia e assim um ariano do sul tem uma tendência a ser mais ensimesmado que um ariano do hemisfério norte. Reflito com mais profundidade sobre isto no meu artigo: Signos e Estações.

Ao estudar um posicionamento planetário deve-se incluir na analise o significado da estação da natureza que estiver acontecendo porque a estação determina importantes aspectos do astral do momento.



Descrição dos Signos segundo a mitologia

Os signos também podem ser estudados através dos mitos associados às constelações zodiacais.

A mitologia greco-romana associada as constelações zodiacais oferecem informações preciosas dos signos.

Os persas, egípcios, indianos, chineses também associaram mitos às constelações das quais os signos tomaram seus nomes e assim herdaram seus significados.

Podem ser feitas associações mitológicas muito ricas também, entre os 12 signos e os 12 trabalhos de Hércules, os 12 apóstolos e as 12 tribos de Jerusalém.

Dos desenhos feitos das constelações, e dos próprios símbolos dos signos também podem se deduzir informações de seus significados.



Descrição energética dos signos

Os signos podem ser agrupados em diversas categorias: Gênero ou Polaridade, Elementos, Modalidade, e Dimensão.

Gênero

Os signos podem ser masculinos (também designados de Yang ou Positivos, mas voltados para o exterior e ação) ou femininos (Yin ou Negativos, mais voltados para o interior ou receptivos).

Masculinos: Áries, Gêmeos, Leão, Libra, Sagitário e Aquário
Femininos: Touro, Caranguejo, Virgem, Escorpião, Capricórnio e Peixes.


Para entender os signos é fundamental entender os 4 elementos.

Os 4 elementos correspondem a cada um dos corpos em que se manifesta a vida. Fogo, o corpo vital, Terra, o corpo físico, Ar, o corpo mental e Água o corpo emocional. Existimos através dos quatro elementos e em um mundo de três dimensões ou três modalidades. Quatro vezes três é doze. Assim os doze signos do zodíaco são os doze canais ou campos através dos quais se manifesta a vida aqui na Terra.

A vida se dá através destes 12 canais e campos, por isso podemos afirmar a pessoa é ou existe através dos 12 signos do Zodíaco. A diferença entre uma pessoa e outra se dá em como os signos são potencializados pelo Sol, Lua, planetas e as direções no momento do nascimento e claro, a história e momento da alma e suas circunstâncias.

Quando alguém pergunta: que signo você é? Deveria se responder sou os 12 signos. Existimos através dos doze signos. Costuma-se a falar o signo solar porque é o signo que se expressa com mais força pela importância da função solar: identidade, centro, vida, amor. Mas são igualmente importantes o signo lunar, o signo ascendente e todos os signos ocupados por planetas ou direções especiais. O planeta ressalta o signo segundo sua função ou faculdade de personalidade, todas importantes para entender a riqueza da personalidade. Por exemplo, para entender a forma de agir e decidir de uma pessoa deve se estudar a situação astrológica de seu Marte natal, suponha-se que esteja em Peixes, Marte natal em Peixes propicia o estilo pisciano do guerreiro pessoal. Esta pessoa ao agir ou decidir terá em conta sua sensibilidade, o ambiente onde se encontra e a vontade das pessoas envolvidas. Será do tipo guerreiro Zem. Aquele que encontra sua força no caminho do diálogo amoroso e compassivo e opta pela Paz.

Os signos se manifestam na vida da pessoa através das funções dos planetas que os potencializam. Se você quiser saber como uma pessoa valoriza, se relaciona, gosta ser tratada, estude o signo onde se encontra Vênus. A melhor forma que se sente acolhida, segura, nutrida e as características do ambiente familiar que gosta, estude o signo onde se encontra a Lua. O que incita a pessoa, lhe provoca tesão, o jeito em que age e decide estude o signo onde se encontra Marte.

Os signos então não são conceitos abstratos, mas as substâncias da vida.


Triplicidades

As triplicidades são formadas pelos signos do mesmo elemento, no zodíaco formam triângulos ou ângulos harmônicos de 120º.

Triplicidade do fogo: Áries, Leão e Sagitário.

Espírito. Corpo energético.

Os signos do elemento fogo viabilizam as vivências, as ações, a vontade e a intuição. São signos de expressão da identidade. Vitais, enérgicos, entusiasmados. Eu sou, eu crio e eu inspiro.

Triplicidade da Terra: Touro, Virgem e Capricórnio.

Matéria, Corpo físico

Os signos do elemento Terra, facilitam a percepção do próprio corpo, as partes do corpo, os corpos no exterior formando estruturas e sistemas. A capacidade de materializar, ancorar, estruturar, compor. Permitem a consciência da materialidade, e o conhecimento de suas leis e ordens. São signos de expressão "física"/concreta. Valores, ancoramento, construção, estruturação. Eu tenho corpo e sentidos. Eu estudo e trabalho. Eu estruturo, integro, construo.


Triplicidade do Ar: Gêmeos, Libra e Aquário.

Corpo mental

Os signos do elemento Ar, oferecem a oportunidade e a capacidade de aprender, pensar, expressar, relacionar, comunicar, trocar. São signos de expressão relacional. Mente, compreensão, comunicação, expressão. - Eu respiro e aprendo. Eu me relaciono. Eu compartilho com grupos e redes.


Triplicidade da Água: Caranguejo, Escorpião e Peixes.

Corpo emocional.

Os signos do elemento Água constituem a substância do mundo emocional, a possibilidade de se relacionar emocionalmente com o outro, com todos e o todo. São signos de expressão emocional. Interiorização, afeto, amor. Eu cuido, nutro e acalanto. Eu transformo, me apaixono, sinto tesão, conexão com o outro. Eu amo, sirvo, sinto compaixão, misericórdia.


As três modalidades

As modalidades dos signos falam de suas qualidades em relação as direções e a sequência em que são organizados no círculo zodiacal e que podem ser vistas em analogia com as três etapas constituintes de cada estação da natureza.

Cardinal (inicio de direção - estação): São os signos que iniciam os quadrantes (Áries, Caranguejo, Libra e Capricórnio). Signos de iniciativa e de atividade. Incitam a toma do poder e definem direções. Iniciam as estações.

Cardinal ou Cardeal, signos que marcam no ano zodiacal a entrada das Estações, Fixo, meio da estação e Mutável, fim de estação ou passagem. Assim as 4 modalidades constituem cruzes ou quadruplidades.

Signos Cardinais: Áries (Primavera no Norte, Outono no Sul), Caranguejo (Verão no Norte, inverno no Sul), Libra (Outono no Norte, Primavera no Sul) e Capricórnio (Inverno no Norte, Verão no Sul).

A energia cardinal simboliza iniciativa, disposição, força, tal como a Natureza no inicio das estações. Seja o impulso de Áries para a vida, a disposição e disponibilidade de Caranguejo para o cuidado da família, a força de Libra para argumentar suas idéias e princípios ou de Capricórnio para realizar seus propósitos.

Na energia ou expressão cardinal existe uma tônica de ação. De início e libertação da energia. Pessoas com forte ênfase em signos Cardinais são dispostas, desbravadoras e assumem seus projetos com disposição e força.

A falta deste modo num mapa natal pode provocar falta de iniciativa e disposição.

Fixo (meio da estação): São os signos intermediários dos quadrantes (Touro, Leão, Escorpião e Aquário): Signos de estabilidade, que buscam seguridade e assentamento.

Signos Fixos: Touro, Leão, Escorpião e Aquário, correspondem ao período intermédio de cada estação.

São signos inerciais, conservadores, enraizam, reservam e acumulam, teimosos, estruturam e consolidam valores e atitudes.

Pessoas com forte ênfase em signos Fixos podem ter uma grande capacidade de concentração, serem "resistentes" e obstinados naquilo a que se propõem.

A falta deste modo num mapa natal pode gerar instabilidade ou dificuldade em fixar metas e propósitos.

Mutáveis (fim da estação): São os signos que terminam os quadrantes (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes): Signos de flexibilidade, de adaptação. São sensíveis a diversidade e as diferentes alternativas possíveis. Fim da estação.

Signos Mutáveis:Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes correspondem a cada final de Estação.

São signos adaptáveis, flexíveis, duais.

Pessoas com forte ênfase em signos Mutáveis podem ter uma grande capacidade em se adaptarem às circunstâncias, em assimilarem os processos e se necessário transformá-los.

A falta deste modo num mapa natal pode provocar falta de flexibilidade ou adaptabilidade.


As três dimensões

Em cada dimensão se dispõe de 4 elementos e canais para estabelecer contato e relação. Assim tendo 3 dimensões e 4 elementos, tem-se 12 canais para se manifestar a vida. Estes são os 12 canais ou substâncias de manifestação da vida, os 12 signos do zodíaco.

Primeira dimensão: mundo pessoal: Áries, Touro, Gêmeos, Caranguejo.

Consciência de si e relação consigo mesmo. Tudo o que existe tem em algum grau vida e individualidade e manifesta através dos corpos: vital (fogo), físico (terra), emocional (água) e mental (ar).

Segunda dimensão: Relação com o outro: Leão, Virgem, Libra, Escorpião.

Facilita a possibilidade de entrar em relação com o outro, com o externo, com outro indivíduo através dos canais dos elementos na segunda dimensão. A relação com outro espírito encarnado e cada coisa que existe se dá também através dos quatro elementos. A segunda dimensão abre a possibilidade de se relacionar com outras pessoas e coisas por médio dos corpos físico, vital, mental e emocional. Possibilidade de relação, consciência e percepção da relação e troca com o exterior.

Terceira dimensão: Relação com o todo e sua diversidade: Sagitário, Capricórnio, Aquário, Peixes.

Facilita a relação com o todo, grupos, e o ilimitado. A possibilidade de se relacionar com o todo e suas partes constituintes. A relação com o todo também se dá através dos quatro elementos. Possibilidade da consciência objetiva e conhecimento do mundo.


A combinação de elemento, gênero, dimensão e modalidade oferece informações preciosas para o entendimento dos signos. Para entender um signo, averigue qual é seu elemento, modo, dimensão e polaridade e conseguirá deduzir suas possíveis características e atributos.


Descrição comportamental dos signos

Os doze signos também podem ser descritos através das caracterizações comportamentais do signo solar, a forma mais comum de serem conhecidos. Mas esta descrição peca por limitar a expressão dos signos a consciência de quem descreve e o pior criar sentenças que aprisionam ou limitam.

Áries

Elemento: Fogo; Modo: Cardinal. Primeira dimensão.
Palavras-Chave: Impulsivo, Corajoso, Dinâmico, Pioneiro, Desbravador, Dominador, Apressado, etc.
Regente: Marte
Características Gerais: É um signo de ação, reúne as qualidades do elemento Fogo e da expressão Cardinal. A questão da afirmação da Identidade é um dos pontos-chave na expressão do signo. Desbravador, independente, assertivo, intuitivo, direto, decidido, pioneiro, corajoso.
Características negativas: pode ser precipitado e não terminar o que inicia. Egoísta, agressivo, impaciente, inadaptado, intolerante.

Touro

Elemento: Terra; Modo Fixo. Primeira dimensão.
Palavras-Chave: Paciente, Concretizador, Conservador, Teimoso, Possessivo, Lento, etc.
Regente: Vênus
Características Gerais: É um signo de concretização, reúne as qualidades do Elemento Terra e da expressão fixa. Representa a estabilidade, a materialização das formas. Pode ter tendência, devido a um lado conservador, a apegar-se a valores e a ser pouco receptivo a mudanças. É de natureza sensual e lenta.

Gêmeos
Elemento: Ar; Modo: Mutável. Primeira dimensão.
Palavras-Chave: Falador, Curioso, Inquieto, Impaciente, Comunicador, Versátil, Nervoso, etc.
Regente: Mercúrio
Características Gerais: É um signo da expressão e comunicação pessoal, reúne as qualidades do Elemento Ar e da expressão mutável. Gosta da diversidade, informação e movimento. É de natureza nervosa e adaptável.

Caranguejo

Elemento: Água; Modo: Cardinal. Primeira dimensão.
Palavras-Chave: Emocional, Protetor, Tradicional, Familiar, Reservado. Cuidar, nutrir e acolher.
Regente: Lua
Características Gerais: É um signo de receptividade, reúne as qualidades do Elemento Água e da expressão cardinal. É o mundo emocional no nível pessoal, assim ressalta a familia e as relações afetivas pessoais. É de natureza receptiva e protetora.

Leão

Elemento: Fogo; Modo: Fixo. Segunda dimensão.
Palavras-Chave: Criativo, Romântico, Orgulhoso, Generoso, Vaidoso, Dramático, etc.
Regente: Sol
Características Gerais: É um signo de criatividade e vida. Reúne as qualidades do Elemento Fogo e da expressão fixa. Ressalta a dignidade, autoestima, entusiasmo, vida, amor. É de natureza apaixonada e orgulhosa.

Virgem

Elemento: Terra; Modo: Mutável. Segunda dimensão.
Palavras-Chave: Metódico, Racional, Discriminador, Perfeicionista, Crítico, Cético. Pureza. Limpeza
Regente: Mercúrio
Características Gerais: É um signo de ordem e funcionalidade, reúne as qualidades do Elemento terra e da expressão mutável. Incita a busca do útil e da ordem. De natureza crítica (também autocrítica) e metódica.

Libra

Elemento: Ar; Modo: Cardinal. Segunda dimensão.
Palavras-Chave: Diplomata, Indeciso, Sociável, Inconstante, Artístico, etc.
Regente: Vênus
Características Gerais: É um signo de relação, reúne as qualidades do elemento Ar e expressão cardinal. Procura a harmonia com o outro, estabelecer pontes para a relação. Marca uma etapa em que o indivíduo deixa de se perceber só para si, para então relacionar-se com o outro, na assunção de um compromisso. É de natureza indecisa e artística.

Escorpião

Elemento: Água; Modo: Fixo. Segunda dimensão.
Palavras-Chave: Penetrante, Passional, Transformador, Intolerante, Secreto, etc.
Regente: Plutão
Características Gerais: É um signo de desejo, reúne as qualidades do elemento água e expressão fixa. Pode ser simbolizado como as "águas de um pântano": secretas, misteriosas e intensas. O desejo e as emoções profundas estão subjacentes a este signo, mas também os processos internos de dor e transformação. É de natureza instintiva e secreta.

Sagitário


Elemento: Fogo; Modo: Mutável. Terceira dimensão.
Palavras-Chave: Otimista, Filosófico, Atlético, Exagerado, Fanático, Honesto, etc.
Regente: Júpiter
Características Gerais: É um signo de ideais, reúne as qualidades do elemento Fogo e expressão mutável. Procura expandir-se pelo sentido da aventura. Pode ter um lado "peregrino", pela sua busca de um significado maior para as coisas e consequentemente para si, o que lhe pode conferir alguma instabilidade. É também o signo dos ideais, da expansão de valores, filosofias, religiões, numa perspectiva abrangente da vida. É de natureza otimista e franca.

Capricórnio

Elemento: Terra; Modo: Cardinal. Terceira dimensão.
Palavras-Chave: Responsável, Cauteloso, Ambicioso, Estruturado, Convencional, etc.
Regente: Saturno
Características Gerais: É um signo de afirmação social, reúne as qualidades do elemento Terra e expressão cardinal. Corresponde à necessidade de solidez, de 'status', de obra alicerçada. Ter um papel na vida, na perspectiva de uma carreira na sociedade, de poder afirmar-se no coletivo. É de natureza prudente e séria.

Aquário

Elemento: Ar; Modo: Fixo. Terceira dimensão.
Palavras-Chave: Original, Excêntrico, Livre, Comunicativo, Descontínuo, Individualista, etc.
Regente: Urano
Características Gerais: É um signo de espírito livre reúne as qualidades do elemento Ar e expressão Fixa. Afirma-se pela abertura de idéias, por valores 'revolucionários' e independentes num contexto globalizante da vida, sem fronteiras. Tem uma faceta humanista e solidária, mas também teimosa e individualista. É de natureza independente e sociável. Gosta da autogestão e o respeito a diferenças.

Peixes

Elemento: Água; Modo: Mutável. Terceira dimensão.
Palavras-Chave: Sensível, Pessimista, Sonhador, Auto-piedoso, Escapista, etc.
Regente: Netuno
Características Gerais: É um signo de grande sensibilidade, reúne as qualidades do elemento Água, o modo de expressão mutável e é da terceira dimensão. É de natureza sensível e aberta. Conecta com a emoção e o astral que reina no ambiente.


O Sol, a Lua e os Planetas

O Sol, a Lua, os Planetas e os Asteróides podem ser vistos como os corpos associados a Forças anímicas, inteligentes e espirituais que se expressam na pessoa como potências e funções básicas da personalidade, assim como fluxos de energia e redes de relações que constituem tudo o que existe.

Elas reinam no Céu e estendem sua Ordem nos diferentes graus de manifestação da vida. Assim o Ser Humano e o Sistema Solar compartilham a mesma Essência e a mesma Ordem.

Os antigos as identificavam como os deuses planetários, presentes e participativos no dia a dia, integrados a um Universo vivo, cujos campos, ritmos e ciclos estão interligados à vida na Terra.

O Sol a Lua e os Planetas simbolizam as 10 funções ou faculdades básicas do ser humano:
Sol (regente de Leão): Vontade. Centro. Consciência. Individualidade. Ser, querer, realizar. Auto-estima.
Lua (regente de Caranguejo): Sentir, memorizar, cuidar, acolher e nutrir.
Mercúrio (regente de Gêmeos e Virgem): Pensar, articular, trocar, expressar e comunicar.
Marte (regente de Áries e Escorpião): Penetrar, desbravar, impulsionar, decidir e agir.
Vênus (regente de Touro e Libra): Receber, harmonizar, embelezar, relacionar e valorizar.
Júpiter (regente de Sagitário e Peixes): Expandir, desenvolver. Justiça.
Saturno (regente de Capricórnio e Aquário): Estruturar, depurar e colocar limites. Dá corpo.
Urano (regente de Aquário): Revolucionar, renovar, mudar, diversificar e surpreender. Nova Era.
Netuno (regente de Peixes): Intuir, imaginar, amar e sensibilizar.
Plutão (regente de Escorpião): Transmutar, apodrecer, regenerar e enriquecer. Morte-Vida

Os movimentos, ciclos, posicionamentos e configurações dos planetas no Zodíaco Tropical estão sintonizados aos movimentos e ciclos da vida na Terra. "Segundo é lá, é aqui e vice-versa”.


Os ciclos planetários

O ciclo completo de um planeta acontece quando ele dá uma volta completa no zodíaco e retorna a um mesmo ponto de partida.

O ciclo completo entre dois planetas acontece quando a partir de um encontro entre eles, um deles consegue um giro completo no zodíaco e encontra novamente ao outro planeta.

Os astros encontram-se, em um determinado momento, em um mesmo grau do Zodíaco. Depois evoluem em diferentes seqüências de angulações entre si, e em outro determinado momento se encontram novamente, fechando um ciclo.

Os ciclos dos astros têm sua expressão nos ciclos da vida. Segundo o momento, ou fase do ciclo em que se encontrem os astros será a forma de se manifestar sua energia na vida.

Para entender um astro num mapa deve considerar-se:
Sua natureza e suas qualidades e atributos;
Em que signo se encontra;
Em que casa se encontra;
Quais as angulações que faz com os outros astros (especialmente os regentes do signo e casa onde se encontra, os pontos astrológicos (roda da Fortuna, nódulos, Lilith, etc) e as direções terrestres (Ascendente e cúspides das casas).


Os aspectos planetários

Chama-se aspecto planetário ao significado astrológico do ângulo entre os planetas tendo por vértice e referencia a Terra. O ângulo que existe entre dois planetas revela como é a expressão conjunta das suas funções e energias.

Os ângulos devem ser estudados dentro do contexto do ciclo completo do movimento relativo dos planetas referente a Terra. O ciclo se inicia na conjunção exata, quando os dois planetas estão na mesma direção vistos desde a Terra, é um momento de encontro especial. Os planetas sumam suas naturezas, misturam suas funções e nesse encontro o velho gera o novo, a morte sucede-se de um nascimento. A partir desse momento os planetas segundo suas velocidades começam a se separar formando sucessivos ângulos, até chegar à máxima distancia. A partir da qual iniciam o caminho do reencontro. Assim foi e será.

O interessante é observar que estas evoluções das angulações planetárias são sincrônicas as evoluções dos ciclos da vida. A prática astrológica demonstra que os “aspectos” não podem ser associados a fatos futuros.

Comprova-se que aspectos tensos num mapa natal podem forjar pessoas realizadoras e felizes, e “trânsitos tensos” podem gerar situações de vida agraciadas. Assim como aspectos harmônicos podem produzir uma pessoa inútil e desleixada e “trânsitos bons” podem conduzir a infelicidade.

Tudo, em última instância, depende de nós e de nosso ambiente.

Significantes de um aspecto

Para construir o significado de um aspecto deve ter-se em conta:
O valor numérico do ângulo formado entre os entes astrológicos em estudo;
A relação das energias e naturezas dos entes astrológicos em aspecto . Por exemplo, não é o mesmo uma conjunção entre Vênus e Lua, dos planetas femininos e compatíveis; que uma conjunção da Lua e Saturno, de polaridades diferentes e de funções opostas;
O signo e a casa em que se encontram: No signo de Caranguejo, a conjunção Lua – Saturno, potencializa a força de seu regente, a Lua; se fosse no signo de Capricórnio o potencializado seria seu regente Saturno;
O momento do ciclo a que pertence: não é o mesmo que a conjunção seja aplicativa (que vai acontecer) que separativa (q já aconteceu);
A situação do aspecto no contexto astrológico do mapa em que acontece: não é o mesmo uma quadratura de Marte com *Vênus em um mapa em que Vênus esteja em trígono com Plutão que em outro onde Vênus esteja em quadratura;
O grau de consciência e experiência do nativo em relação ao aspecto e as experiências de vida associadas;
No caso de ser um aspecto com planetas em trânsito, depende das circunstancias de vida que o nativo esteja vivendo.
Assim ao estudar um aspecto, além do angulo temos que ter em conta os fatores descritos.


Ascendente e as 12 Casas Astrológicas

O Ascendente

O Ascendente é o ponto de signo que estava ascendendo no Oriente no momento do nascimento.

Determina a nota ou vibração que afina a personalidade como um todo. As diretrizes gerais que tentarão se encaixar nas diferentes formas do ser. Caracteriza a primeira alternativa de resposta a um estímulo. É o que se quer ou prioriza e a forma de chegar ao que se quer.


O Sol, a Lua e o Ascendente

O Sol, a Lua e o Ascendente são os três pilares fundamentais do mapa: O Sol define a identidade, a missão, a consciência; o Ascendente, o querer do ego e a forma de chegar ao que se quer a primeira atitude diante um estímulo; enquanto a Lua é o jeito de se viver o mundo emocional, de se cuidar e nutrir e gostar ser cuidado e nutrido.


As 12 Casas astrológicas

A partir do Ascendente (a esquerda do mapa –visto desde o Norte) em sentido anti-horário o mapa astral se divide em 12 Casas. Elas são associadas às 12 áreas ou setores básicos da vida.


Casa 1: A pessoa. Imagem de si. Tema pessoal. Tendências pessoais. Momento. Jeito pessoal de encarar a vida. Experiência da singularidade.


Casa 2: Recursos e riquezas pessoais. Bens materiais. As propriedades, o patrimônio. Dinheiro. Valores materiais. O que se valoriza. Experiência da posse e do valor.


Casa 3: Mente concreta. Comunicação. Intelecto. A escrita e a fala. O ambiente próximo. Os irmãos, parentes e vizinhos. Pequenas viagens. Os meios de transporte e de comunicação pessoais. Documentos e papeis. Estudos e cursos básicos. Experiência da troca.


Casa 4: O templo interno. O lar, a segurança, o seio materno. A vida doméstica. Pai e mãe. A casa ( espaço físico). As origens. Antepassados. Experiência do pertencer.


Casa 5: O sexo, o prazer. O amor e o afeto. O lazer e o divertimento. Manifestações sensoriais. Capacidade de criação. Jogos. Festas. Vícios. A Sorte. Os amantes. Os filhos. Experiência do gerar, criar e emanar.


Casa 6: A rotina e o cotidiano. As pequenas obrigações do dia a dia. As habilidades, os dons e talentos. O trabalho e o ato físico de trabalhar e servir. Empregados. Saúde e doenças transitórias. Animais domésticos. Experiência do servir.


Casa 7: O casamento. As associações e a relação com o outro. Os inimigos declarados. Contratos. Experiência do compartilhar e da convivência comprometida com o outro.


Casa 8: O inconsciente. O oculto. A magia. A morte. As transformações. A regeneração. Os mistérios. O sexo. Desejos e as forças ocultas. O dinheiro e bens das parcerias e dos outros. As perdas. Os impostos, as cobranças de terceiros. Experiência do regenerar e da perda.


Casa 9: A mente abstrata. Ideais. Religião. Filosofia. Os arquétipos. A necessidade de crescer espiritualmente. Visão de mundo. Pensamento abstrato. Ética pessoal: o estabelecimento do código de valores individuais. O estrangeiro, o comércio exterior e as grandes viagens. O que se quer transcender. A Justiça e as Leis. Processos judiciais. Estudos superiores e universitários. Experiência da Ética e do Sagrado. Experiência da expansão.


Casa 10: Vocação e ocupação: profissão. Honra e reconhecimento público. Representa a nossa obra, a meta a conquistar. Objetivos. Finalidade. Status quo. Projeção social. O nível de excelência. A relação com o poder. Experiência da missão.


Casa 11: Os amigos. Os grupos a que se pertence, clubes e agremiações. Como nos comportamos com amigos e grupos. A esperança. Os projetos pessoais. O futuro. Experiência da gregação.


Casa 12: As restrições. As dificuldades que se apresentam na vida para serem superadas, visando ao aprendizado e à purificação. As hospitalizações. As doenças hereditárias e ou incuráveis. Os exílios. As prisões. Os retiros espirituais. O espaço sagrado pessoal e de interiorização. Preocupações e marginalização. O oculto. Espiritualidade. Experiência do silêncio e da entrega.


Mapa natal, carta natal ou carta astral

O Mapa Natal pode ser chamado de mandala pessoal, nele está desenhado o projeto cósmico pessoal, e o mapa dos dons, talentos e características potenciais da personalidade, original e única.

O mapa natal é o caminho de volta para casa. O mapa é uma dádiva, um presente do céu.

É realmente fantástico que o posicionamento do Sol, Lua e planetas nos signos zodiacais na hora de nascimento, e referenciado ao local de nascimento, descreva as características potenciais da personalidade. Este fenômeno inexplicável só dá para ser experimentado.

Quando eu por primeira vez consegui me ver no meu mapa natal foi uma experiência impactante. Desde então, sempre que o vejo me fala e revela aspectos novos, enfoques novos de mim mesmo. Sempre. Só aquele que consegue esta relação é que vai entender o que falo. Os meus clientes que estudam anos seus mapas comigo também sempre se surpreendem da sua generosidade.

No mapa natal, o Sol, a Lua e os Planetas falam de como a pessoa se comporta nos diferentes setores da vida; os Signos mostram o modo que a pessoa se comporta; e as Casas mostram a situação potencial em cada um dos setores da vida, o cenário e o contexto astrológico de fundo; os Aspectos planetários (ângulos) mostram enredos e dramas, desafios ou facilitações.

O mapa natal sempre é o mesmo, como já falei, ele é uma foto do céu no momento de nascimento. No entanto, a sua cara sempre é nova e palpitante. Um mapa natal é impossível ser decifrado na sua totalidade. Qualquer uma de suas partes já é infinita em possibilidades. Dentro de um mapa existes caminhos que se bifurcam e enveredam por paisagens sem retorno que sempre conduzem a pessoa.

Por isso é aconselhável ao entrar no mapa saber o que se quer. A arte de uma boa interpretação estará na beleza da formulação da questão que se quer que o mapa ilumine. Sem a questão clara o mapa pode te levar a um nó de neurônios onde não saberá onde estão os pés e onde a cabeça.

Gosto muito de estudar meu mapa com diferentes astrólogos, eles sempre me dão novos ângulos e pontos de vista. Já recebi toques maravilhosos também de pessoas leigas a partir de suas impressões dos símbolos e a geometria do mapa.

É muito importante estudar e entender o próprio mapa. Incentivo a todos a conhecerem com profundidade, responsabilidade e sacralidade o próprio mapa, será um dos maiores prazeres e alegria que terão.

Aconselho a que quando inicie o estudo de seu mapa escolha um caderno, ou abra um arquivo de texto onde anotará tudo o que de novo for descobrindo sobre seu mapa natal e a cada certo tempo dê uma processada geral. Anote também os trânsitos planetários, fazendo observações de como os vive.


Previsões

As Previsões astrológicas estudam as diferentes formas dos astros se relacionarem com o mapa natal, as principais são as seguintes:

Trânsitos planetários

Os trânsitos planetários estudam como o Sol a Lua e os planetas ativam o mapa natal com seus movimentos, configurações e ciclos. A posição dos planetas é possível através das efemérides e programas de computado.

Progressões e direções

As progressões e direções planetárias indicam o movimento interior dos entes astrológicos (Ascendente, Meio do Céu, Sol, Lua, planetas, etc). Elas partem do principio que estabelece a equivalência entre o ano e o dia.

As revoluções são os mapas dos aniversários planetários. Uma revolução planetária é o mapa astral no momento em que o planeta está fazendo aniversário, quer dizer que está na mesma posição em que estava no dia de nascimento.

Revoluções planetárias

Habitualmente só se estuda a Revolução solar, assim como só celebramos o aniversário solar. Mas, todo mês fazemos aniversário de Lua, todo ano fazemos aniversários de Mercúrio e Vênus, cada dois anos de Marte, e na minha experiência pessoal todos estes aniversários são significativos e seus mapas oferecem informações valiosas.

Vertentes da Astrologia

A Astrologia, na atualidade se especializa em várias direções e pode ser dividida em várias ramas, tais como: Astrologia Eletiva, Médica, Horária, Cármica, Vocacional, Empresarial, Mundial, Política, Agrícola, Ritualística, etc.

Fonte: 
http://www.astrothon.com/Anexo:ABC_da_Astrologia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...